Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Congresso da FIRS muda formato dos mundiais

Silva Cacuti, em França - 24 de Junho, 2015

s principais modalidades de patinagem são o hóquei em patins, patinagem artística, patins em linha, patinação de velocidade, patinagem no gelo, skateboard, entre outras.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Congresso da Federação Internacional de Roler Skate (Firs), realizado na segunda-feira, em La Roche Sur Yon, determinou o fim dos campeonatos mundiais de hóquei em patins no formato actual, e  incluiu-os no quadro dos jogos mundiais de patinagem, evento que passa a acolher na mesma cidade as provas de todas as modalidades.

“Todas as provas de patinagem passam a ser disputadas na mesma cidade e em simultâneo. Também deixam de existir os mundiais B e estão a estudar propostas para o sistema de apuramento”, informou Pedro Azevedo, angolano que é vice-presidente da Firs. De acordo com  o responsável já estão definidos os locais das primeiras três edições dos Jogos Mundiais de Patinagem.

Barcelona vai acolher a primeira edição, em 2017.  A segunda edição está marcada para Nanjing, na China em 2019, enquanto Lima no Peru vai receber a terceira edição. Em relação aos moldes de disputa referiu, que há já uma proposta, que vai definir se participam todas as equipas ou se limita o número e disputam-se torneios de apuramento.

Pedro Azevedo disse, que essa decisão, vai implicar maior organização dos poucos países africanos que têm o hóquei em patins, no sentido de encontrar um modelo de apuramento que seja justo. Luís Sénica, seleccionador de Portugal, em declarações ao Jornal dos Desportos à propósito disse esperar, que esta reformulação das competições da Firs traga maior engajamento dos países e proporcione uma oportunidade de maior expansão das modalidades de patinagem.

A patinagem é uma actividade, que implica deslocamento, ou deslizar sobre uma superfície. Esta inclui diversas modalidades que tanto podem ser praticadas no gelo, com patins de lâmina, como também modalidades que se praticam sobre pavimento sintético, ou de madeira, com patins com rodas.  As principais modalidades de patinagem são o hóquei em patins, patinagem artística, patins em linha, patinação de velocidade, patinagem no gelo, skateboard, entre outras.

CRÓNICA
Golos à oitenta quilómetros e a nossa parte

Há tempos, quando foi do jogo da primeira mão do Girabola entre o Petro de Luanda e 1º de Agosto, sob o título “Jogo limpo”, escrevi alguma coisa  sobre o papel do adepto durante uma partida. Não era nada científico, apenas apelava ao “fair-play”. Felizmente, no referido jogo não houve arruaças e acabei por considerar que tinha feito a minha parte. Afinal, acho que sabia pouco, desse papel de adepto.

Aqui em La Roche Sur Yon aconteceu uma experiência interessante com o desempenho dos adeptos. Eles marcaram golos a 80 quilómetros, os mesmos que separam Nantes e La  Roche Sur Yon. Com parcos recursos, organizaram-se em caravanas e chegaram a La Roche em cima da hora do jogo. Foram barrados, à entrada. Eram angolanos, mais de cinquenta. Houve uma “esfrega”, até que apareceram bilhetes para que parte deles entrassem. Entraram quase todos, dois ficaram impedidos, porque já não tinham bilhetes disponíveis.

Aguardaram do lado de fora e recebiam por mensagem informações do que acontecia no campo. Ao fazer-se à sala, os adeptos angolanos participaram do colorido, porque vestiam e traziam consigo a  Bandeira Nacional. Angola, Angola, Angolaaaa, o som irrompeu pela sala e abafou os gritos dos mais de dois mil outros adeptos que já lá estavam. Os atletas da nossa selecção estavam reconfortados, levantavam os olhos e viam uma claque efusiva, perceberam que não estavam sozinhos. A grandeza da distante Angola estava aí, pertinho.

De repente, a responsabilidade de jogar em nome de milhões, pesou.Tanto que o jogo já tinha começado e nossos jogadores pareceram apáticos e sofreram golo no primeiro minuto. A claque aumentou os apelos. Trabalhou e se alguém dentro da quadra tentou dormir, ficou desperto. “c’est la Angolé", diziam alguns jornalistas ao lado de mim, comovidos pela actuação da claque. 

Sob o ensurdecedor barulho daqueles jovens, alguns dos quais têm o português carcomido pelo tempo de ausência em Angola, os golos da selecção surgiram. Eram golos marcados à 80 quilómetros. De Nantes à La Roche. Ou, melhor, de África, Angola, a La Roche. No final, 7-2, para Angola. Missão  cumprida. Então aproximaram-se de nós muitas pessoas, voluntários, jornalistas e adeptos de outras nacionalidades, que se aperceberam de que éramos angolanos, queriam saber que país é esse, que se chama Angola e é detentor de tanta força! Fizemos a nossa parte. Silva Cacuti

DECISÃO
Moçambique perde
organização da prova


As reformulações aos moldes de disputa, das provas da Federação Internacional de Roller Skate (Firs), acabaram por retirar Moçambique da lista de países que pretendem acolher o Campeonato Mundial de hóquei em patins. Moçambique preparava -se para colher em 2017, depois de ter perdido à última hora, a organização do mundial de 2011 para a Argentina. A Firs organiza a partir de 2017 os jogos mundiais de patinagem,  implica que os países organizadores disponham de condições para a prática das nove modalidades desportivas que corporizam a Firs. A organização outorgou as primeiras edições dos jogos mundiais à Espanha, China e Perú.

DERROTA COM A FRANÇA
Selecção Nacional falha objectivo

 A Selecção Nacional foi, ontem, incapaz de passar à segunda fase da 42ª edição do Campeonato do Mundo de hóquei em patins que a França acolhe na localidade de Lá Roche Sur Yon, ao perder 1-3, para a equipa da casa, em jogo que marcou o encerramento da fase de grupos da competição. Ao intervalo Angola vencia por 1-0. O objectivo de Angola era alcançar os quartos-de-final. Amanhã a selecção defronta a Inglaterra, no primeiro jogo das classificativas do 9º ao 16º lugar.

O jogo, último do grupo A, começou equilibrado sob barulhenta pressão da claque francesa, quase todo pavilhão, que apupava, sempre que os angolanos estivessem com a bola. Eram tambores, cornetas, apitos e tudo o que pudesse produzir barulho. Uuuuuu, uuuuu, sempre que a bola estivesse em posse dos vestidos de vermelho e preto. Sem efeito, porque logo aos três minutos João Pinto marcou para Angola, a concluir um passe de Centeno, à boca da baliza francesa.

Os da casa pressionaram mais e tentaram assenhorar-se do jogo, mas Angola jogava bem e neutralizou os intentos. Uns poucos angolanos que tiveram condições de vir de Nantes apoiavam a selecção. Aos 28 minutos surgiu o empate numa jogada de mérito do ataque francês. Pertu do fim a equipa da casa superiorizou -se e marcou os golos que lhe deram a vitória.

ANGOLA não chega aos quartos de final desde 2009, em Vigo, Espanha, quando logrou o sexto lugar, a sua melhor classificação de sempre e não quebra o enguiço diante dos franceses, em provas mundiais, que dura desde 1993. No grupo B, a Argentina teve de esforçar-se para vencer Moçambique, 5-4, e garantir o primeiro lugar do grupo com 9 pontos. Moçambique ficou em segundo lugar com 6 pontos.

No grupo C, Portugal dominou e, com naturalidade, somou 9 pontos ao bater na derradeira jornada um Brasil irreconhecível, por 8-2. Na segunda posição surgiu a Alemanha que demonstrou estar em ascensão na cena do hóquei em patins mundial. No grupo D houve mais equilíbrio entre as duas equipas que passaram para os quartos-de-final.

O Chile e a Itália protagonizaram um emotivo duelo que terminou com vitória dos transalpinos por 5-4. Os chilenos contentaram-se com o segundo lugar que também é premiado com a passagem para a outra fase da prova. Eis o emparcelamento da segunda fase do mundial: Quartos-de-final-França - Argentina, Espanha - Moçambique, Portugal -Chile,Itália - Alemanha. Classificativas do 9º ao 16º  lugar: Angola - Inglaterra, Suíça - Holanda, Áustria - África do Sul e Colômbia - Brasil.
silva cacuti, em frança

CONFRATERNIZAÇÃO
La Roche Sur Yon
cumpre honras da casa

O presidente da cidade francesa de Lá Roche Sur Yon oferece hoje um almoço aos delegados das 16 equipas inscritas na 42ª edição do Campeonato do Mundo de hóquei em patins que a cidade acolhe desde 20 do corrente. Hoje a competição regista dia de folga geral. Durante a cortesia serão entregues lembranças da cidade aos delegados e alguns dos delegados farão igualmente entrega de lembranças das respectivas federações à cidade.

Localizada no centro-este de França, na região de Vandee, La Roche Sur Yon é uma cidade é um pólo industrial cuja população, segundo dados disponíveis ronda os 100 mil habitantes.


Grupo A
20 de Junho
ANGOLA -Holanda /7-2
França-Espanha /1-2

21 de Junho
ANGOLA-Espanha /1-3
França -Holanda /7-0

23 de Junho
França-Angola/3-1
Espanha - Holanda/ 12-0

Grupo C
21 de Junho
Brasil-Áustria /2-3
Portugal-Alemanha /6-2

22 de Junho
Alemanha -Brasil /6-2
Portugal-Áustria /13-0

23 de Junho
Áustria -Alemanha/2-7
Brasil-Portugal/2-8

Grupo B
20 de Junho
Moçambique-Inglaterra /6-3
Argentina-Suíça /1-7

21 de Junho
 Suíça-Moçambique /1-3
Argentina-Inglaterra /8-1

23 de Junho
Inglaterra -Suíça /1-6
Moçambique-Argentina /4-5       

Grupo D
 21 de Junho
Chile-África do Sul /14-1
Itália-Colômbia /3-2

22 de Junho
África do Sul-Itália /1-16
 Colômbia-Chile /2-4

23 de Junho
África do Sul - Colômbia /1-4
Itália - Chile /5-4

DERROTA COM A FRANÇA

Selecção Nacional falha objectivo


 A Selecção Nacional foi, ontem, incapaz de passar à segunda fase da 42ª edição do Campeonato do Mundo de hóquei em patins que a França acolhe na localidade de Lá Roche Sur Yon, ao perder 1-3, para a equipa da casa, em jogo que marcou o encerramento da fase de grupos da competição. Ao intervalo Angola vencia por 1-0. O objectivo de Angola era alcançar os quartos-de-final.

Amanhã a selecção defronta a Inglaterra, no primeiro jogo das classificativas do 9º ao 16º lugar.
O jogo, último do grupo A, começou equilibrado sob barulhenta pressão da claque francesa, quase todo pavilhão, que apupava, sempre que os angolanos estivessem com a bola.

Eram tambores, cornetas, apitos e tudo o que pudesse produzir barulho. Uuuuuu, uuuuu, sempre que a bola estivesse em posse dos vestidos de vermelho e preto. Sem efeito, porque logo aos três minutos João Pinto marcou para Angola, a concluir um passe de Centeno, à boca da baliza francesa.

Os da casa pressionaram mais e tentaram assenhorar-se do jogo, mas Angola jogava bem e neutralizou os intentos. Uns poucos angolanos que tiveram condições de vir de Nantes apoiavam a selecção. Aos 28 minutos surgiu o empate numa jogada de mérito do ataque francês. Pertu do fim a equipa da casa superiorizou -se e marcou os golos que lhe deram a vitória.

ANGOLA não chega aos quartos de final desde 2009, em Vigo, Espanha, quando logrou o sexto lugar, a sua melhor classificação de sempre e não quebra o enguiço diante dos franceses, em provas mundiais, que dura desde 1993.

No grupo B, a Argentina teve de esforçar-se para vencer Moçambique, 5-4, e garantir o primeiro lugar do grupo com 9 pontos. Moçambique ficou em segundo lugar com 6 pontos.

No grupo C, Portugal dominou e, com naturalidade, somou 9 pontos ao bater na derradeira jornada um Brasil irreconhecível, por 8-2. Na segunda posição surgiu a Alemanha que demonstrou estar em ascensão na cena do hóquei em patins mundial.

No grupo D houve mais equilíbrio entre as duas equipas que passaram para os quartos-de-final.
O Chile e a Itália protagonizaram um emotivo duelo que terminou com vitória dos transalpinos por 5-4. Os chilenos contentaram-se com o segundo lugar que também é premiado com a passagem para a outra fase da prova.

Eis o emparcelamento da segunda fase do mundial: Quartos-de-final-França - Argentina, Espanha - Moçambique, Portugal -Chile,Itália - Alemanha.
Classificativas do 9º ao 16º  lugar: Angola - Inglaterra, Suíça - Holanda, Áustria - África do Sul e Colômbia - Brasil.
silva cacuti, em frança

FICHA TÉCNICA

ANGOLA

 
1-Hugo
 Garcia, 2- Centeno, 3- Nery, 4- Filipe Bernardino,  5- Márcio
Fernandes, 6- Johe , 7- Payero,  8- Big, 9- João Pinto (1), 10- Veludo.
 Técnico: Orlando Graça ( angolano)
 
FRANÇA

 
1- Buanec, 2- Furstenber, 3- Roux , 4- Weber (1), 5- Herman, 6- Lê Roux, 7- Morales, 8- David ( 1 ), 9- Benedetto, 10- Tanguy.
Técnico: Fabien Savreux ( francês).
 
Intervalo: 1-0
Final do Jogo: 3-1