Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Correia obtém terceira norma

Álvaro Alexandre - 17 de Novembro, 2015

Presidente do Conselho Nacional de Árbitros da FAX aguarda prova escrita para efectivar o título de juiz Fide

Fotografia: kindala Manuel

O presidente do Conselho Nacional de Árbitros da Federação Angolana de Xadrez (FAX), Adelino Correia, arbitrou, recentemente, na Grécia, no Campeonato mundial de jovens e de cadetes, nas categoria de 8 a 18 anos, onde obteve a terceira norma, equivalente ao título de árbitro Fide. Para a consumação do título, Adelino Correia vai ser submetido a uma prova de exame e a avaliação pode ser realizada em qualquer parte do mundo, desde que seja um curso de arbitragem da Fide.

Para o sucesso na prova final, Adelino Correia augura que o evento seja realizado num dos países de expressão portuguesa, o que seria "mais rentável no capítulo financeiro e humano". O especialista angolano enaltece o apoio recebido das Forças Armadas Angolanas, em particular, do Chefe do Estado-Maior General e da Direcção Principal de Preparação de Tropas e Ensino, que no espírito das celebrações dos 40 anos da independência nacional, cedeu mais uma vez verbas financeiras que facilitaram a presença pela primeira vez de um árbitro angolano no campeonato do mundo de jovens e de cadetes.

"Muito obrigado pelos esforços financeiros disponibilizados que me permitiram arbitrar, com as cores de Angola, no campeonato do mundo da categoria de sub-14 e Open masculino e feminino, realizado na Grécia", agradeceu Adelino Correia.O presidente do Conselho Nacional de Árbitros da Federação Angolana de Xadrez obteve a primeira norma no Mundial de Amadores, disputado em Abril último, na cidade grega de Halkidiki Porto Carras, e a segunda, no Open da África do Sul, em Julho, na cidade de Cabo.

ESPECIALISTA
DEFENDE APOIOS

Adelino Correia defende mais apoios para o seu sector, no sentido de responder os desafios da instituição reitora do desporto-ciência no país. Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente do Conselho Nacional de Árbitros da FAX abordou as inquietações administrativas e financeiras."No âmbito da  gestão da arbitragem, enfrento enormes dificuldades no capítulo financeiro para realizar de forma regular os fóruns nacionais e internacionais. Dos poucos eventos, o Conselho Nacional de Árbitros da FAX contou com apoio das Forças Armadas Angolanas, uma instituição que se revê com a nobreza do xadrez", disse.

Para Adelino Correia, há a necessidade de se adoptar novos modelos de gestão, como a participativa, para que os objectivos sejam consumados. A continuar nos moldes actuais, os programas aprovados para o presente mandato vão continuar engavetados por falta de apoios de instituições competentes. A título de exemplo, o responsável citou o "Encontro Nacional de Arbitragem", um evento agendado para o corrente ano, "mas não se efectiva por falta de verbas".

O dirigente defende maior proximidade entre os membros da arbitragem nacional para elevar os níveis de competência. "O Encontro Nacional de Arbitragem é de importância extrema, porquanto o xadrez é um desporto dinâmico. Devido às novas tecnologias, hoje já se realizam cursos, palestras e seminários via online. Os nossos árbitros não estão dotados destas informações; estão com carência no domínio de línguas de trabalho da Fide, mormente, o inglês e francês, o que provoca limitações", disse.

Em função da limitação linguística, Adelino Correia afirmou que os árbitros angolanos "estão apenas habilitados a arbitrarem as provas organizadas nos países de língua portuguesa".Adelino Correia informou que a Federação Internacional de Xadrez (Fide) está a promover vários seminários de arbitragem em quase todas as línguas para aumentar o leque de árbitros.

"A finalidade é dar resposta cabal ao projecto de xadrez nas escolas, uma linha orientadora da Fide e um compromisso assumido por todos os países membros", esclareceu.Adelino Correia ressaltou que foi mandatado pela Comissão de Xadrez nas Escolas da Fide, no âmbito da execução do projecto voluntário, para proceder à tradução de livros escritos nas outras línguas para o português, "a fim de responder satisfatoriamente às necessidades urgentes".

LUANDA
Polivalente e 1º de Agosto lideram provincial


Polivalente Aldanuel e 1º de Agosto partilham a liderança do campeonato provincial de xadrez de Luanda por equipas com 19 pontos, depois de disputadas 12 jornadas. A equipa capitaneada pelo Candidato a Mestre (CM) Cambando José apresenta melhor coeficiente (235,25) contra o 188,75 dos militares do Rio Seco.Na última jornada, as duas equipas apresentaram-se com bom nível técnico e competitivo. O Polivalente Aldanuel venceu o Núcleo do Rangel por 3,5 a 0,5 e o 1º de Agosto despachou a Macovi do Golfe por 4 a 0.

No primeiro jogo, o capitão do Polivalente Aldanuel, Cambando José, derrotou Josemar Cabingano; Cláudio Félix venceu Alexandre João; Eliseu Tavares foi mais forte sobre António Pinheiro e Celso Baltazar empatou com Eduardo Marques, do Núcleo do Rangel.No segundo jogo, os militares do Rio Seco foram "impiedosos" com os macovistas. O CM Sérgio Miguel venceu Reginaldo Pombal, Edivaldo Gama derrotou Fernando Ferraz, Carlos Fernandes ganhou ao Ramiro Panzo e Edivânio Domingos venceu Lutuima Dialupuna.

Noutras partidas, Epal venceu CIXA por 4 a 0; Colégio Nossa Senhora Anunciação derrotou Macovi Capalanga por 4 a 0; Progresso Sambizanga perdeu diante da Selecção Militar B por 0 a 4; Macovi Feminino perdeu diante da Selecção Militar por 0 a 4; Macovi Popular empatou com a Escola de Xadrez de Viana João Júlio por 2 a 2.Após a conclusão da 12ª jornada do provincial por equipas de Luanda, a classificação é liderada pelo Polivalente Aldanuel (19), seguido do 1º de Agosto (19), Colégio Nossa Senhora Anunciação (17), Independentes do Golfe (16), Epal (13), Escola de Xadrez de Viana João Júlio (13), Macovi popular (12), Selecção Militar (12), Núcleo do Rangel (10), Macovi Feminino (9), Selecção Militar B (8), CIXA (5), Progresso Sambizanga (5), Macovi do Golfe (4) e Macovi Capalanca (2).