Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Correr para vitória

31 de Dezembro, 2014

Correr para vitória

Fotografia: Jornal dos Desportos

A 59ª edição da corrida de fim de ano sai hoje à rua, com cerca 1500 corredores inscritos. O tiro de largada vai ser dado às 18H00, no local habitual, Largo da Mutamba. A ansiedade é o principal adversário dos corredores, tanto internacionais como nacionais. Entre a melhoria dos tempos individuais e os lugares na tabela classificativa, sem perder de vista os valores monetários e outros prémios em jogo são os ingredientes que descrevem as horas que antecedem o tiro de largada.

Todos os aspectos estão acautelados. A comissão médica aconselhou a todos os participantes que abstenham de bebidas alcoólicas e tomem precauções para não transformar a festa de rua em dissabores. Favoritos há. Alex Korio e Stephan Kosgei, ambos do Quénia, trazidos pelo Kabuscorp encabeçam a lista dos favoritos. Mas a lista de quenianos e etíopes, é numerosa. Mathew Kisório, Titus Mbishei, Edwin Kipiego, são outros que podem lutar pelo título. Hassan Edrif dos Marrocos, pode ser a revelação.

No complexo do Ifal as delegações internacionais já estão instaladas e, pelo que apuramos, sem motivos para reclamações. No total  37 corredores, segundo a organização, vieram de 12 países. Ausências notáveis de Moçambique, país da região cujos corredores lograram vencer a prova por duas vezes, em 1964, com António Repinga e 1975 com José Muinga.

 Entre os angolanos, mais uma vez os manos Alexadre João e Rafael Epesse, Francisco Caluvi, Tiago Baptista, Avelino Ndumbo e Luís Kuvíngua vão bater-se. Haverá luta. Os corredores angolanos, alguns em representação de selecções provinciais também estão no Ifal. A Huíla, referência do atletismo de fundo angolano não está representada por selecção, mas a nata dos seus corredores veio a Luanda em representação dos emblemas da capital, Interclube, Petro de Luanda e 1º de Agosto.

Todos os atletas de elite e federados foram ontem apresentados durante uma conferência de imprensa realizada pela organização da prova. A prova vai ter duas partidas. O tiro de largada para as senhoras será dado cinco minutos antes do tiro para os masculinos que será dado às 18H00. A prova masculina vai premiar os 20 primeiros classificados, com um prémio de usd 15 mil para o primeiro. Quanto ao sector feminino, serão premiadas as primeiras 12 atletas, com o prémio para a primeira classificada cifrado em 12 mil usd.
Percurso está aprovado

O percurso da 59- edição da corrida de fim de ano, sai hoje à rua, foi ontem considerado tecnicamente apto para o evento, após a realização da última vistoria por parte de uma comissão técnica integrada por membros do Governo Provincial de Luanda(GPL) e da comissão organizadora. A comitiva teve à cabeça o governador de Luanda Graciano Domingos.

Na tarde de ontem, técnicos da Odebrech trabalhavam na sinalização do piso, na zona da ponte do Prenda. Limavam-se as últimas arestas. Ainda na revolução de Outubro eram visíveis algumas viaturas avariadas, mas com a notificação do GPL para que o seu proprietário a remova.

O percurso do São Silvestre de Luanda tem cerca 10km de distância, parte do Largo da Mutamba, toma o sentido ascendente em direcção ao Largo Serpa Pinto, passa pela Avenida Revolução de Outubro, toma a Avenida Ho Chi minh, Largo das Heroínas, Largo 1º de Maio, entra pela Avenida Alameda Manuel van Dunem, desce a Rua da Missão, continua na Rua Cirilo da Conceição, passa pela Avenida 4 de Fevereiro, Largo do Baleizão, toma a Rua Manuel

As marcas mínimas para os atletas angolanos estabelecidas pela federação mantêm-se. No caso de conseguirem estabelecer ganham cerca de 7500 dólares (cerca de 750 mil kwanzas). Para se habilitar ao prémio, os homens devem correr a prova em 28min48s, ao passo que para as senhoras foi estabelecido o mínimo de 33min51s. Caso só um atleta estabeleça os mínimos, arrebata a totalidade do prémio, ou seja, 15 mil dólares (cerca de 1,5 milhões de kwanzas).Há ainda os prémios da NCR que oferece um portátil para o primeiro atleta angolano que cortar a meta. O segundo e terceiro serão brindados, respectivamente, com um tablet e um Gps.
S.C

ATLETISMO
Prova impulsiona
modalidade
na Osofil Sport


Uma nova agremiação abre portas ao atletismo na província do Uíge, motivada pela mobilização em torno da 59ª edição da corrida de fim de ano que hoje corre nalgumas artérias da cidade de Luanda. Trata-se da Osofil Sport que inscreveu dois atletas na prova internacional. “Juntamo-nos à mobilização popular que se faz em torno desta prova e não vamos ficar por aqui. Pretendemos, a partir desta data, abrir um departamento de atletismo e começarmos a trabalhar para termos todos os escalões da modalidade”, anunciou António Neves, responsável da equipa.

António Neves disse ao Jornal dos Desportos no acto de apresentação dos dois corredores que vão representar a equipa que o objectivo é ajudar à dignificação da modalidade a nível da província. Atrasado Francisco e João de Azevedo são os corredores que assinaram pela nova equipa.

“O meu objectivo passa pela melhoria da minha marca pessoal que está cifrada nos 34 minutos e também pretendo estar entre os melhores angolanos para dignificar não só o nome da minha equipa, mas também da província”, disse o corredor Atrasado Francisco. Por seu turno, João de Azevedo valorizou a nova fase da sua carreira, em que passa a estar filiado a uma equipa.

“Tenho a oportunidade de treinar com métodos científicos, já que vou passar a ter orientação de um treinador, diferentemente dos tempos em que trabalhei como atleta individual. Sinto-me motivado e penso que a minha carreira pode dar um passo em frente”, disse.O Uíge tem marcado presenças regulares nas provas da Federação Angolana de Atletismo .

ATLETISMO
Fundista são-tomense quer vencer
prova São Silvestre de Luanda


O fundista são-tomense Gil Ambrósio manifestou-se confiante na vitória na corrida de fim de ano, a São Silvestre de Luanda, que vai à rua hoje pelas 18h00. Em declarações à Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, minutos após chegar a Luanda, o atleta, estreante na prova, garantiu representação condigna nesta competição, em função do trabalho realizado.

“Venho a Angola com o objectivo de conquistar a prova. Estou muito motivado para competir e darei o meu máximo para vencer. Não é fácil, dadas as dificuldades que vou encontrar, mas considero uma missão possível”, considerou.

O fundista, quarto classificado da Maratona de Macau, realizada a 7 de Dezembro, acrescentou que tem boas referências da prova de Luanda, dado o nível dos fundistas que têm participado.

A partida está agendada como sempre para o Largo da Mutamba, com chegada ao Estádio dos Coqueiros. A corrida passa pelas avenidas Amílcar Cabral, Revolução de Outubro, Ho-Chi Min, Alameda Manuel Van-Dúnem, ruas da Missão e 4 de Fevereiro, assim como os largos do Kinaxixe e Baleizão.

Os quenianos Stanley Biwott (masculino) e Priscah Jeptoo (feminino) venceram a última edição, com os tempos de 28:31 e 32:10 minutos. Ambos estão ausentes nesta edição por questões físicas.