Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Corrida Luanda Sport Center atrai atenções de huilanos

Silva Cacuti - 01 de Abril, 2013

Avelino Dumbo promete ganhar corrida em Luanda

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os principais corredores de fundo angolano nas classes masculina e feminina vão desfilar em Luanda na disputa da II edição da Corrida Luanda Sport Center que sai à rua em Luanda a 14 de Abril, num percurso de dez quilómetros.

Segundo Francisco Diogo “Seco”, responsável técnico do Interclube, que trabalha com os principais fundistas daquela província, é grande a expectativa em torno da prova.

“Os corredores huilanos estão muito interessados em correr nesta prova. Há vontade, não só dos corredores federados mas também dos populares, que manifestam muita vontade de correr. Estamos preocupados com as inscrições, porque gostaríamos de fazer localmente e apresentar à organização. De qualquer forma, esperamos que haja compreensão da organização com eventuais situações que envolvam corredores da Huíla. Há, principalmente atletas do sector feminino, muitas que querem estar em Luanda para correr”, disse.

Recentemente, num contacto com a nossa reportagem, Mota Gomes, secretário-geral da Federação Angolana de Atletismo, deplorou o atraso de atletas federados na efectivação das respectivas inscrições e destacou que “têm o hábito de esperar pelos últimos dias”.
A resposta dos fundistas é contundente.

Avelino Ndumbo, corredor afecto ao Interclube, que venceu o campeonato nacional de estrada, disse estar pronto para inscrever o seu nome na galeria da Luanda Sport Center.

“Para mim esta prova vem num bom momento, porque estou em forma e vou a Luanda para correr e ganhar”, desafiou.
Avelino Ndumbo disse que há alguma falta de informação sobre a prova na Huíla. “Não sabíamos da realização desta prova, mas conversei com alguns colegas e todos estão preparados para correr em Luanda”, revelou.

Ernestina Paulino, a melhor angolana na corrida de fim de ano, “São Silvestre de 2012”, e que no sábado somou mais um título de campeã nacional de estrada, confirmou igualmente a sua presença na prova Luanda Sport Center. A confirmação da corredora é acompanhada pela ambição de vencer.

“Corri o campeonato nacional de estrada um pouco condicionada por uma lesão, mas creio que até ao dia da prova de Luanda estarei bem e o meu objectivo é ganhar”, disse.

Outros nomes sonantes do fundo feminino, como Sónia Kapoco, Maria Isabel e Teresa Tchicololi também vêm para a prova.


ORGANIZAÇÂO
Prova conta com cinco centenas de inscritos


A faltarem pouco mais de quatro dias para o termo das inscrições para a II edição da corrida Luanda Sport Center, já 500 corredores, em Luanda, procederam às respectivas inscrições, segundo Nelaine Santos, da organização.

“Nestes últimos dias as inscrições deram um salto muito grande, as pessoas aderiram e já estamos com cerca de 500 inscritos”, revelou.
A responsável lembrou que no acto de inscrição o corredor paga o valor de 1.500 kwanzas e antes da corrida recebe um kit com camisola, boné, dorsal, cartão SIM Movicel e um alfinete.

Os corredores habilitam-se ao sorteio de uma viatura de marca Citroen. 
A II edição da Luanda Sport Center tem previstos prémios de 100 mil kwanzas, um computador portátil, 12 meses de ginásio na LSC, medalha e troféu, para o 1º classificado na classe de federados.

A classe de federados vai oferecer prémios até ao 6º classificado. Para a categoria de populares, o 1º classificado vai levar 50 mil kwanzas, um computador, vai beneficiar de 12 meses de ginásio, medalha e troféu.

Na categoria de populares serão premiados os três primeiros classificados, tal como na classe paralímpica.                                  SC

JUVENIS
Pedro fica em sexto
no Africano do Niger


O atleta angolano Moisés Pedro, do 1ºde Agosto, ocupou o sexto lugar na prova de salto em comprimento, da classe masculina, no campeonato africano de Juvenis, que ontem encerrou no Níger.

Moisés Pedro, de 15 anos de idade, estabeleceu a marca de 5 metros e 71 centímetros, numa prova que teve como vencedor o nigeriano Edafiadhe Joseph, com 6 metros e 91 centímetros, seguido do seu compatriota Ejumeta Oke com o salto de 6 metros e 85 centímetros, todos com 17 anos de idade. Na terceira posição classificou-se o etíope Mekonen Abebe.

Nos 100 metros, Moisés Pedro realizou a marca de 12 segundos e 18 centésimos enquanto Alice Ventura (angolana que corre pelo Naval de Porto Amboim) correu os 100 metros em 15 segundos e 03 centésimos.

Nos 3000 mil metros em feminino a prova foi dominada pelas atletas quenianas e etíopes. A atleta Chepwogen Mercy do Quénia venceu a corrida com o tempo de 9 minutos, 17 segundos e 52 centésimos, deixando em segundo lugar a também queniana Jepkemei Daisy, com 9 minutos, 17 segundos e 69 centésimos.
Angola participou no primeiro campeonato africano de atletismo em Juvenis-Warri 2013, representada pelos atletas Alice Ventura do Naval (Porto Amboim) e Moisés Pedro (1º de Agosto).

A prova, que decorreu de 28 a 31 de Março, contou com a participação de mais de 36 países.


FEMININOS
Franciela conquista Mano a Mano


Franciela Krasucki levou a melhor sobre as compatriotas brasileiras no desafio Mano a Mano de atletismo, que conta com a maior estrela da modalidade, Usain Bolt.
A campeã panamericana da estafeta 4x100m em Guadalajara-2011, dominou a prova desde o início, cruzando a linha de chegada em 16s75.

A sua principal rival, Rosângela Santos, chegou a ameaçar, mas perdeu força e completou a prova ao lado de Evelyn dos Santos, com 17s12. Vanda Gomes foi a quarta.

“É muito bom competir com o carinho dos brasileiros, o calor dos adeptos. Foi uma prova diferente e especial, eu agradeço”, comemorou a campeã, em entrevista à Rede Globo.

O desafio brasileiro faz disputar os 150m, marca não reconhecida pela Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) por não fazer parte do programa olímpico.


DESPORTO ADAPTADO
Fonteles vence desafio paralímpico no Brasil


Alan Fonteles não deu hipótese ao americano Jerome Singleton na prova paralímpica do desafio Mano a Mano, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.
O brasileiro venceu a prova com 15s68, quase um segundo à frente do adversário, e mandou um recado a Usain Bolt, o grande nome do atletismo e da competição que ocorre no Rio de Janeiro.
“O Bolt que se cuide. Disseram-lhe que eu queria enfrentá-lo e ele sorriu. Estou a treinar para isso, vamos lá”, brincou o brasileiro, campeão paralímpico dos 200 m da categoria T44 nos Jogos de Londres do ano passado.
Fonteles deveria enfrentar o famoso Oscar Pistorius, que foi acusado do assassinato da namorada na África do Sul e que acabou por desistir da competição carioca. Contra Singleton, largou atrás, mas ultrapassou o americano a meio da prova e completou os 150 m com tranquilidade.

“Foi a minha primeira e melhor prova nesta distância (não homologada pela Federação Internacional de Atletismo). Foi tranquilo. Confesso que fiquei mais cansado vir aqui falar com a imprensa depois de caminhar na areia”, brincou o brasileiro, que sonha em tornar-se dominante nos 200 m.
“Estou a trabalhar para me tornar imbatível como tantos outros grandes atletas. Vou lutar para isso”, afirmou.


ATLETISMO
Bolt falha recorde


O jamaicano Usain Bolt foi ontem a grande figura do programa de exibição de atletismo na praia de Copacabana, Rio de Janeiro, mesmo falhando o objectivo de bater o recorde do Mundo dos 150 metros.

O campeão olímpico e recordista mundial dos 100 e 200 metros tinha ao seu dispor uma pista especialmente construída para o receber e para validar o recorde mundial, mas acabou por ficar a sete centésimos, com 14,42 segundos.

O recorde continua assim nos 14,35 segundos, feitos pelo velocista jamaicano em Manchester, Inglaterra, a 17 de maio de 2009.

Bolt ganhou à frente do brasileiro Bruno Lins e Barros (14,91), de Daniel Bailey, de Antigua, e ainda do equatoriano Álex Quiñónez, o actual campeão ibero-americano.

Com especiais cuidados na partida, para não ser desclassificado - como aconteceu nos últimos Mundiais -, Bolt foi logo para a frente e "cavou" para a concorrência uma diferença acentuada, que chegou ao meio segundo na meta.

Os 150 metros raramente são corridos por atletas de primeiro plano, já que se trata de uma distância que não integra o programa oficial de Jogos Olímpicos e Mundiais.

Bolt gostou da prova que fez: “O tempo está bem para começo de temporada, estou muito satisfeito”. O velocista explicou ainda que só agora está a começar a preparação da época, com vista aos Mundiais de Moscovo, em Agosto, e também que a temperatura e o sol do meio-dia em plena praia, com 30º centígrados, não ajudou.

“Espero reencontrá-los a todos aqui em 2016”, disse ainda Bolt, aludindo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, dirigindo-se à multidão que quis ver ao vivo o mais famoso atleta da atualidade.