Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Corrida reúne fundistas no Lubango

09 de Setembro, 2013

56 fundistas participaram na primeira corrida pedestre denominada

Fotografia: Jornal dos Desportos

Entre federados e não-federados 56 fundistas participaram sábado de manhã na primeira corrida pedestre denominada «Tundavala Mais», promovida pela campanha de eleição da Fenda com este nome como uma das sete maravilhas naturais de Angola e  da Associação Provincial de Atletismo.

Na categoria de federados, venceu o fundista Luís Kuvíngua seguido por Adelino da Silva e Fernando António nos lugares imediatos.
Na classe feminina, Teresa Tchicolili conquistou o pódio enquanto Venância Vihemba terminou em segundo.

Nos não-federados Pedro Samuel acabou à frente, ao passo que Nelson Acácio e Fernando Antonio ficaram em segundo e terceiro postos.

Na classe de formação Elias Lussati foi o mais forte, seguido de Osvaldo Luís e Adriano Mota enquanto em feminino nesta categoria Segunda Catena terminou em primeiro, Lucélia Beno em segundo e Margareth António em terceiro.

A corrida teve o percurso de três quilómetros e ocorreu na estrada de acesso à Fenda da Tundavala. No final o padrinho eleito para a Tundavala na eleição das sete maravilhas naturais de Angola, Benedito Kayela, disse que esta é uma acção combinada para valorizar àquela zona turística e garantir saúde através do desporto.

De acordo com Kaela até ao fim da votação por telefone que decorre, devem ser realizadas mais duas provas.
Os vencedores receberam brindes da campanha e medalhas. O evento teve a parceria da Direcção Provincial da Juventude e Desportos e Associação Provincial de Atletismo.

A eleição das sete maravilhas naturais de Angola é uma organização da National Seven Wonder's, uma empresa nacional, e visa definir o futuro mapa turístico do país, em que a Tundavala concorre na categoria de falésias.

ATLETISMO
COI pode punir Isinbayeva


O Comité Olímpico Internacional (COI) está a ponderar tomar medidas contra a campeã mundial do salto à vara Yelena Isinbayeva, depois dos seus comentários a favor da nova lei anti-gay da Rússia terem provocado uma grande polémica no mês passado.

“Vamos ponderar isso no devido tempo”, disse a jornalistas o presidente do COI, Jacques Rogge, quando interrogado se a atleta russa era uma embaixadora apropriada para os Jogos da Juventude, após os seus comentários recentes.

Isinbayeva, bicampeã olímpica, criticou a reacção dos atletas estrangeiros à nova lei russa contra a apologia à homossexualidade.

Ela também é a presidente da cerimónia da Vila Olímpica para os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014, e vai transportar a tocha do evento.
Rogge não entrou em pormenores sobre que tipo de acção e quando ela pode ser tomada contra a russa, mas pôs de parte a possibilidade de pressionar o governo sobre o assunto.

“Recebemos garantias verbais e escritas (do governo russo) ”, disse ele. “Vamos realizar os Jogos num Estado soberano e o COI não pode ter influência nos assuntos de um Estado soberano. Estamos circunscritos aos nossos poderes e acções como convidados.”