Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

CPA prova "Nacional"

Pedro Futa - 12 de Setembro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

O Comité Paralímpico Angolano(CPA) adiou o Campeonato Nacional em atletismo de pista, para os dias 18,19 e 20 de Outubro, prova antes agendada para os dia 15 e 16 do corrente no Estádio dos Coqueiros.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o director técnico do Comité Paralímpico Angolano, José Manuel, justificou as razões do adiamento com a realização do africano.
"Angola vai albergar o Campeonato Africano de futebol com muletas em Benguela, entre os fins de Setembro e o princípio de Outubro e estamos todos engajados na organização",disse.
José Manuel disse ainda, que o Mundial do Qatar é um dos motivos. "Se o campeonato nacional decorresse essa semana, os atletas da selecção iam ficar um longo período sem competição antes do Mundial do Qatar, que acontece em Novembro",justificou.
O treinador da equipa de Luanda, António Diogo, está conformado com a decisão do Comité Paralímpico, em ter adiado a prova.
"Aceito a decisão do órgão que dirige o desporto adaptado e não vai interferir em nada no nosso trabalho. E se for para o bem da selecção nacional melhor ainda", disse.  
António Diogo disse ainda que a preparação decorre sem sobressaltos e falou sobre os objectivos. "A preparação está correr bem e o nosso objectivo é reconquistar a mística que tivemos no passado, em que Luanda ficava sempre nos lugares cimeiros ",frisou.
António Diogo justificou à falta de apoio, que tem sido o verdadeiro \"Calcanhar de Aquiles\" para a província de Luanda.
\"Em termos de recursos humanos a capital está bem servida, mas falta o apoio material e financeiro, a cidade está descentralizada  e é necessário transporte para congregar os atletas para os treinos\",disse.
Segundo António Diogo, à Associação Provincial de Luanda do Desporto Adaptado, está em busca de parcerias para apoiar a modalidade.
Treinam no Estádio dos Coqueiros, os atletas Sebastião Neves (T11 deficiente visual), meio-fundista, Afonso Camuco, (T12 deficiente visual parcial), velocista nos 100, 200 e 400 metros, Pedro Inácio (T46 amputado dos membros superiores) e João José (T36 paralisia cerebral).
Em femininos, Luanda vai correr com Teresa Zua (T36), Edna João(T46) e Rosalina Guilhermina, da classe auditiva.

Desejo
Camuco pretende
regressar à selecção


O velocista Afonso Camuco, da classe T12, pretende regressar à selecção nacional, caso vença o Campeonato Nacional de pista.
Em entrevista à nossa reportagem, Camuco, agora com 24 anos, mostrou-se optimista em conseguir um lugar no pódio.
"Estou a trabalhar bem e espero conseguir um lugar no pódio, de preferência uma medalha de ouro e ser chamado à selecção nacional, porque desde o ano passado que os luandenses não são seleccionados", afirmou.