Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

CPA reage a matéria do JD

12 de Fevereiro, 2014

CPA tem tido o cuidado de organizar e assegurar todas as condições

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os nossos sinceros cumprimentos
O Comité Paralímpico Angolano (CPC) é uma organização multidesportiva que tem como objectivo o fomento do desporto no seio de pessoas com deficiências, nas vertentes recreativa e de rendimento, contribuindo assim para a sua reintegração social, sanidade mental e valorização.

Tendo em conta a especificidade do grupo alvo a que é direccionado, o CPA tem tido o cuidado de organizar e assegurar todas as condições de acordo com a realidade dos atletas com deficiências, tais como o local de competição e organização logística.

Anualmente, o CPA realiza provas específicas de âmbito nacional e as integradas, como é o caso das Taças Lwini e José Sayovo, onde participam, para além de atletas deficientes, os olímpicos e populares, cuja preocupação é sempre o de melhorar e superar a organização da edição anterior.

Foi com este espírito que se realizou no dia 9 de Fevereiro a nona edição da Taça José Sayovo, onde, no entender dos participantes e convidados, a prova esteve a um bom nível, pois, tal como recomendam os regulamentos, foram montados os postos de água a cada quilómetro.

Distribuiu-se quites de corrida e à chegada, a cada concorrente um lanche, um diploma de participação, troféu, medalhas e o valor monetário correspondente à classificação.

Por isso, foi com espanto que a Direcção do CPA deparou-se no dia 10 de Fevereiro com uma notícia no Jornal dos Desportos, com os dizeres “9ª Edição da Taça José Sayovo mancha pela organização”. Uma afirmação que deixou um tanto ou quanto perplexos os membros por considerarem o termo bastante crítico em relação à realidade dos factos.

Entretanto, o CPA reconhece não ter divulgado a pronto os resultados, mas é preciso entender que a natureza da actividade desportiva adaptada é mais complexa devido ao número de participantes e classes (19), o que naturalmente leva mais tempo a serem destrinçadas.

O Comité Paralímpico Angolano reconhece todo o empenho dos órgãos de Comunicação Social do país, estatal e privada, que têm contribuído para a divulgação das actividades realizadas dentro e fora do país.

António da Luz
S. Geral