Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Cruz minimiza potencial da Tunísia

Silva Cacuti - 05 de Novembro, 2016

O seleccionador disse ainda que jogar o campeonato no país com a missão de resgatar o título continental é uma responsabilidade grande

Fotografia: Jornal dos Desportos

O seleccionador nacional sénior feminino de andebol, Filipe Cruz, considera que as selecções do Senegal e dos Camarões, 6ª e 7ª classificadas da última edição, são as prováveis adversárias directas da Selecção Nacional na disputa da 22ª edição do Campeonato Africano, que Luanda acolhe de 28 do corrente a 7 de Dezembro. O técnico fez estas considerações à saída da recepção concedida à selecção nacional pelo Ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição, na quinta-feira.

"Neste tipo de competições depende muito do estado de forma com que as equipas se apresentam. Muita gente pensa que a Tunísia poderá ser o grande adversário de Angola, mas não é. Senegal e Camarões são equipas para ter em conta, além de outras surpresas que podem surgir na competição", disse.

A Tunísia jogou diante de Angola as finais de 2006, 2010 e 2012. O seleccionador disse ainda que jogar o campeonato no país com a missão de resgatar o título continental é uma responsabilidade grande. Por isso, "as atletas encararam com muita responsabilidade as recomendações do ministro Albino da Conceição".

Da reunião realizada à porta fechada, o técnico trouxe satisfação pelas garantias de apoio do governante à Selecção Nacional durante a preparação e a disputa do campeonato. "Recebemos do Ministro o conforto e encorajamento, porque vamos ao estágio, visando uma competição. O ministro veio dar-nos apoio, desejar-nos sorte e boa preparação para o torneio. No fundo, veio despedir-nos, dizer que está com a selecção e que todo o apoio de sua parte será dado ao grupo", revelou.

A Selecção Nacional parte amanhã para Gaia, Portugal, onde vai ficar baseada durante toda a preparação para o Campeonato Africano. Durante o estágio, o seleccionador pretende efectuar entre cinco a seis jogos.

Em relação aos adversários, Filipe Cruz preconiza jogos competitivos e pode optar por jogos com equipas masculinas. O seleccionador convocou as guarda-redes Teresa Almeida e Neide Barbosa; as meia-distâncias Azenaide Carlos, Magda Cazanga, Vilma Nenganga, Isabel Guialo, Lurdes Monteiro, Lourena Carlos, Luísa Kiala e Wuta Dombaxi; as pontas Janet dos Santos, Juliana Machado, Joelma Viegas, Dalva Peres, Natália Bernardo e Carolina Morais, bem como as pivots Albertina Cassoma e Liliana Venâncio.


CRAQUE DA TUNÍSIA
Mouna Chebbah falha CAN

A selecção da Tunísia, campeã continental, vem ao Campeonato Africano de Luanda desfalcada de Mouna Chebbah, a sua melhor atleta de sempre. A atleta lesionou-se há poucos dias ao serviço do Shambray TH de França, equipa em que actua e deve parar a actividade por dois meses.

Mouna, 34 anos, meia-distância, é das mais experientes do plantel tunisino. Entre os seus melhores registos consta a eleição de Melhor Jogadora Árabe, Melhor jogadora e Melhor Marcadora de França em 2015.

Além de Chebbah, a possante pivot Asma El-Ghaoui, que esteve no sete ideal do "Africano" de 2012, em Marrocos, também não vai representar a equipa tunisina na defesa do título. El-Ghaoui adquiriu a nacionalidade húngara e vai passar a jogar por aquele país.

A Federação Tunisina de Andebol anuncia a qualquer momento o nome do seu novo seleccionador nacional sénior, após a demissão de Mohamed Riadh Sanaa. O novo presidente da Federação tunisina, Mourad Mestiri, saído das eleições de 30 de Outubro, prometeu colocar o assunto entre as suas prioridades. Mestiri destronou Karim Helali.

A selecção tunisina começou a preparar-se no dia 31 de Outubro sob a batuta do preparador físico Monet Cherif e prevê chegar a Luanda no dia 25 de Novembro.      
SILVA CACUTI