Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Curso termina com sucesso

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 02 de Novembro, 2014

Dos seiscentos e oitenta e sete alunos matriculados apenas cento e setenta terminaram com êxito a acção formativa

Fotografia: Arimateu

Cento e setenta professores de educação física da província da Huíla estão capacitados para transmitir novas técnicas de ensino ligados a disciplina ao concluírem com êxito o I curso médio de professores de educação física e desporto escolar, decorrido de 2012 à 2014, na cidade do Lubango.

 A cerimónia de entrega de diplomas aos professores de educação física e desporto escolar, decorreu ontem, no Pavilhão Multiuso de Nossa Senhora do Monte, foi presidido pela vice-governadora da Huíla para o sector político e social, Maria João Tchipalavela, na presença do director nacional para a acção social escolar do Ministério da Educação, Domingos Torres Júnior, em representação da secretária de Estado de Educação para o Ensino Geral e Acção Social, Ana Paula Inês, coordenador do Comité Executivo Nacional de Estudo e Revitalização da Educação Física e Desporto Escolar, Rui Mingas, entre outros convidados.

 A formação média  teve a duração de três anos, foram ministradas as disciplinas de fisiologia de esforço, prática pedagógica, língua portuguesa, atletismo, ginástica, voleibol, futebol, natação, prática e metodologia de educação física, andebol, basquetebol, sociologia desportiva, psicologia desportiva, pedagogia desportiva, entre outras cadeiras.

 O director provincial de educação da Huíla, Américo Tchicoti que fez o breve historial da acção formativa, explicou que a 1ª fase do curso médio decorreu durante o mês de Dezembro de 2011 e consistiu na formação e capacitação de curta duração dos professores do ensino primário e alguns voluntários.

Informou que a 2ª fase arrancou em 2012, com a matrícula de professores que leccionam a disciplina de educação física sem formação específica ou com curso básico e outros jovens candidatos a futuros docentes da disciplina.

 Américo Tchicoti revelou, que inicialmente se apresentaram para a inscrição mais de 1.500 candidatos e destes, foram seleccionados 687 provenientes de todos os 14 municípios que compõem a província.

 Acrescentou ainda, que terceira e última fase do curso, teve inicio em Janeiro do corrente ano, com a selecção e preparação dos professores para o acompanhamento do estágio dos alunos finalistas, trabalho com os directores das escolas seleccionadas para acolherem a prática docente, com maior destaque para as instituições de ensino público e algumas privadas.

 Disse que o interesse pelos professores em formação começou a ser demonstrado por alguns gestores das escolas que estatais como privados no acolhimento dos formandos para o estágio iniciado em 2013 e que estendeu-se até ao presente ano.

 “Em todas as escolas onde os formandos em educação física estagiaram, as aulas tomaram novo sentido e deixaram de ser “improvisados” como eram anteriormente, em alguns casos”, reconheceu o responsável da educação na Huíla.

 O curso arrancou com 678 alunos matriculados inicialmente, no segundo ano a cifra baixou para 285 e terminou ontem com 170 finalistas.

 O director da educação da Huíla, salientou que com o término do curso, a província passa a controlar 179 professores formados em educação física, o que é extremamente importante, para a estabilidade da disciplina no processo docente-educativo.


Na Huíla
Formandos prometem transmitir conhecimentos


Os participantes no I curso médio de professores de educação física e desporto escolar, prometeram pôr em prática os conhecimentos adquiridos aos longos de três anos de formação.

Na mensagem lida pela finalista do curso Virgínia Rangel, considera que a caminhada não foi fácil e como prova disso, justificou eram 687 alunos matriculados e ao longo dos três anos de formação, muitas peripécias surgiram e apenas 170 conseguiram chegaram ao fim do curso.

 “No mês de Março do ano de 2012, começámos o curso de formação de professores de educação física. Numa iniciativa louvável do Comité Executivo Nacional de Estudo e Revitalização da Educação Física e Desporto Escolar. Queremos dizer que a caminhada não foi fácil, pois muitas peripécias surgiram e apenas 170 chegaram ao fim do curso. Quanto a nós, valeu o sacrifício de termos chegado ao fim do curso, com sucesso”.

Reconheceu que durante a formação média tiveram professores de brilho admirável e dom de docência. Por isso, “para eles, o nosso eterno reconhecimento. Agradeçamos os promotores dessa formação, porque estamos prontos a vencer as dificuldades que surgirem no exercício das nossas actividades docentes na província”, sustentou.

 De acordo com Virgínia Rangel, os formandos levaram a obra até ao fim, para mostrar à sociedade “o que somos e quanto valemos, produzindo homens que dignifiquem o desporto na província, no país e não só”.

 Solicitaram às autoridades governamentais a absorver no próximo concurso de admissão de novos agentes do ensino, os finalistas que ainda não fazem parte do quadro efectivo do Ministério da Educação para que possam vir a prestar um serviço ao sector e à sociedade.
Gaudêncio Hamelay,  Lubango


Reconhecimento
Mingas valoriza
prática do Desporto


O coordenador do Comité Executivo Nacional de Estudo e Revitalização da Educação Física e Desporto Escolar, Rui Mingas, valorizou ontem, no Lubango, a prática desportiva como um importante instrumento de desenvolvimento de progresso e promotor dos mais nobres valores inerentes à condição humana.

Rui Mingas referiu, que o desporto através das políticas públicas é promotor do sentimento de pertença de uma comunidade e agente privilegiado da conjunção da entidade nacional. Por isso, o desporto através das condições internacionais é o promotor da imagem e da amizade entre os povos, condição do desenvolvimento e progresso dos países.

 Destacou  no que diz respeito à organização do futuro de um país em franco desenvolvimento, como é o caso de Angola, é fundamental e de capital importância desenvolver uma política educativa capaz de formar o cidadão angolano com uma cultura desportiva de excelência, promotora cada vez maior da consciência cívica e nacional.

 “O cidadão angolano de futuro, está hoje nas escolas do ensino primário e secundário do país. Por isso, em boa hora o governo da República de Angola, através do Comité Executivo Nacional Estudo e Revitalização da Educação Física e Desporto Escolar, entendeu desencadear um curso médio de professores de educação física, dirigida aos cidadãos de cada uma das províncias do país”, sublinhou. 

 Anunciou estarem concluídos os cursos médios de professores de educação física e desporto escolar da Huíla e Cabinda.

 “Quero dizer ultrapassados que foram as dificuldades iniciais, que normalmente se levantavam ao arranque de um projecto inovador organizado pelo comité, estou em condições de afirmar que até ao ano de 2017, contamos ter arrancado com um número de cursos, que respondem às necessidades mínimas de todas as províncias do país”, anunciou.

 Rui Mingas referiu que para atestar o êxito deste projecto de formação, “estamos aqui e agora na Huíla, neste simples ritual de celebração a distribuir os diplomas aos alunos que cumpriram com aproveitamento do curso médio de professores de educação física, que aconteceu com alto padrão de qualidade na província da Huíla”, regozijou-se.

 Manifestou o seu apreço e gratidão a todos os alunos, pelo empenho demonstrado, assim como a todos aqueles, que contribuíram para o sucesso deste empreendimento, sobretudo, às autoridades provinciais, os técnicos do comité, como os docentes do curso superior que leccionaram nas várias disciplinas do curso.         
G.H


Adriana Bento
defende estratégias


A vice-governadora para o sector Político e Social, Adriana Sofia Cacuassa Bento, defendeu no Luena a estruturação de uma estratégia de desenvolvimento do desporto, que conduza à redução das assimetrias territoriais, sobre os índices de prática, infra- estruturas e formação.
A governante discursava na abertura do segundo “workshop” do FC Bravos do Maquis, que se realizou no Luena, com 200 participantes ,sob o lema “Organizados Seremos Campeões”.

Lembrou que o governo de Angola considera o desporto, um instrumento de socialização e de inclusão social, reiterou por isso, que a estruturação da estratégia deve ser abrangente, inclusiva e sem assimetrias na prática das modalidades, construção de infra-estruturas e formação.

Referiu que o desporto moderno enquadra-se numa grande mobilidade de interesses, no âmbito político, económico e social, quanto à divulgação, implementação e participação.

Para ela, a realização do “workshop” é de suma importância na história do FC Bravos do Maquis, cujo objectivo passa em promover a prática desportiva, como forma de incentivar a recreação desportiva e cultural no seio dos associados e da população em geral.

Durante o workshop, que reuniu especialistas nacionais e estrangeiros, com a participação de administradores municipais, treinadores de futebol, presidente de Associações provincial, entre outros, foram abordados temas “O Clube, sua Organização e Direcção ”,  “Importância da Medicina Desportiva”, “Formação e Metodologia de Treinos”, “Comunicação Social e o Desporto”, “Associativismo e o Desporto na Comunidade” e  “Leis do Futebol”.