Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dakar começou ontem com Paraguai no roteiro

03 de Janeiro, 2017

Uma novidade da edição 2017 do Dacar é que os sistemas de navegação de todos os veículos têm limitações para que os instrumentos de guia não ajudem tanto os pilotos.

Fotografia: AFP

A edição de 2017 do Rali Dacar teve início ontem, promete ser a "mais dura realizada na América do Sul", segundo o ex-piloto e director-desportivo Marc Coma, com a inédita inclusão do Paraguai no percurso, além da participação de seis brasileiros.

A competição começou em solo paraguaio. Este é o quinto país a fazer parte da tradicional disputa. Em seguida, os competidores partiram para a Argentina e depois para a Bolívia, com direito a trechos a 3.500 metros de altitude. A etapa final está marcada para acontecer no dia 14 deste mês, em Buenos Aires.

Ao todo devem ser percorridos 9 mil quilómetros, cerca de 4 mil cronometrados, divididos em 12 etapas. São 316 participantes que concorrem ao título em cinco categorias, 82 deles, estreantes.

De entre carros, são 75 pilotos, com destaque para o actual campeão, o francês Stéphane Peterhansel já conquistou 12 títulos, os espanhóis Carlos Sainz e Nani Roma, além do qatariano Nasser Al-Attiyah e do finlandês Mikko Hirvonen. Do Brasil vai estar Sylvio Barros na disputa.

A busca do troféu entre as motos conta com 146 competidores, entre eles, o actual campeão, o australiano Toby Price, o eslovaco Stefan Svitko, o espanhol Joan Barreda Bort e o chileno Pablo Quintanilla. Os brasileiros Gregorio Caselani e Richard Fliter estreiam no Dacar.

Marcelo Medeiros pode ser o único piloto do Brasil na categoria quads, enquanto a dupla formada por Leandro Torres e Lourival Roldan participa da estreia da SSV, que compreende utilitários leves, de menos de 1.050 cilindradas. Apenas entre camiões, que vão ter 50 concorrentes, não há brasileiros.

Os grandes favoritos são o holandês Gérard De Rooy e o russo Ayrat Mardeev, actual campeão e vice, respectivamente, despontam como favoritos. Uma novidade da edição 2017 do Dacar é que os sistemas de navegação de todos os veículos têm limitações para que os instrumentos de guia não ajudem tanto os pilotos.