Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Daniil Kvyat acredita no sucesso da Red Bull

17 de Fevereiro, 2016

Jovem piloto quer surpreender os responsáveis da formação da Red Bull

Fotografia: AFP

Daniil Kvyat acredita que a Red Bull pode voltar mais forte como equipa, após a difícil  temporada que enfrentou  com o ruim desempenho dos motores Renault. Depois do sucesso de quatro temporadas seguidas, entre 2010 e 2013, quando Sebatian Vettel  sagrou-se  tetracampeão antes de rumar para a Ferrari, a equipa austríaca procura  superar-se em 2016.

No ano passado, a Red Bull coleccionou o pior resultado no campeonato de construtores desde 2008, ficou na quarta colocação atrás de Mercedes, Ferrari e Williams. Facto que não foi muito bem aceite por todos da equipa, que segundo Kvyat tiveram a paciência testada.

“Obviamente que foi um grande teste de paciência este ano, para todos nós como um grupo, que sofremos um choque. Nós estivemos numa difícil situação, depois começamos a escalar e melhorar nós mesmos, mas houve muitos altos e baixos na temporada passada. Pontuamos bem em alguns eventos, e em outros, não pontuamos nada. Isso foi um pouco decepcionante”, comentou.

Mesmo tendo coleccionado momentos ruins em 2015, o piloto russo espera que na terceira temporada na Fórmula 1 as coisas possam ser diferentes, e viver agora momentos de alegria com a equipa que lhe deu a oportunidade de realizar o sonho.

“Eu espero que neste ano haja mais experiências positivas do que negativas, porque não houve muitas no ano passado, mesmo eu realizando algumas boas corridas e conquistando o meu primeiro pódio. O facto é que precisamos de temporadas como a de 2015 nas nossas vidas. Penso que crescemos e ficamos mais fortes como grupo. Cada pessoa na nossa equipa estará mais forte”, finalizou.

Com a Renault   
Maldonado explica divórcio 


Sem contar com o apoio financeiro da petrolífera estatal venezuelana PDVSA, Pastor Maldonado viu-se rapidamente sem a vaga na equipa Renault, está fora da Fórmula 1 depois de cinco anos na categoria.

O venezuelano foi substituído, na Renault, pelo dinamarquês Kevin Magnussen e revelou que aconteceu rapidamente.
"Não havia um acordo claro e a situação desenvolveu-se  em poucas horas", explicou à revista italiana Autosprint.  "Eu vi-me sem o meu patrocinador, e o resto veio em seguida."Ainda assim, Maldonado agradeceu o apoio de seu país. "A PDVSA fez um grande trabalho, e este programa estatal deu suporte também a outros pilotos, como EJ Viso e Samin Gomez, além de outros desportos."

Sobre o futuro, o venezuelano foi evasivo. "São questões difíceis. Ainda estou a tentar entender o que houve e estou a pensar em trabalhar de uma forma alternativa para voltar a correr", disse o piloto que descartou entrar na disputa pela última vaga disponível em 2016, na Manor, e pretende voltar à gralha em 2017.

29 de Fevereiro
Toro Rosso confirma
apresentação
do STR11


A Toro Rosso confirmou a apresentação oficial do STR11,  para o dia 29, em Barcelona. Enquanto isso, o chefe Franz Tost informou que a equipa de Faenza vai à pista com uma pintura azul.
A Toro Rosso realmente vai apresentar o seu carro da temporada 2016, um pouco depois do restante. Na segunda-feira, o chefe da equipa Franz Tost confirmou que a formação de Faenza vai mostrar o carro para o mundo, no próximo dia 29, leva na primeira semana de testes em Barcelona uma pintura azul.
Em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com', Tost anunciou oficialmente a data de lançamento do carro para o próximo dia 29, ainda em Barcelona, e explicou que a equipa quer dar um cuidado especial para a pintura do bólido.

"Vai ser um carro azul nos primeiros testes. Nós só vamos apresentar o carro oficialmente no dia 29, estamos atrasados para fazer isso, logo. Queremos fazer um bom trabalho também na pintura do carro, então vamos deixar a apresentação para depois", disse.

O chefe da equipa reconheceu que a demora na definição dos motores para 2016 atrapalhou os planos da Toro Rosso, mas exaltou o trabalho da equipa e garantiu que não há atrasos na produção do carro em si.

 "Na F1, o tempo é sempre um problema. Nós demoramos muito para decidir qual motor usaríamos em 2016, isso acabou por atrasar as coisas. Mesmo assim, nosso pessoal fez um trabalho incrível e o carro está praticamente pronto”.