Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Danny Kent bate recorde

31 de Maio, 2015

Fabio Quartararo mostrou ritmo de pole, mas sofreu uma queda na parte final da sessão e não conseguiu voltar por conta dos danos na NSF250RW.

Fotografia: AFP

A Inglaterra lidera o topo da grelha da Moto3, que se disputa hoje, no circuito de Mugello, em Itália. Danny Kent desfilou um ritmo excelente nas qualificativas de ontem e quebrou o recorde da pole estabelecido por Álex Rins, no ano passado, ao cravar 1min56s615 na nona volta. Na segunda posição ficou o estreante Hiroki Ono a 0s289 do líder e garantiu a dobradinha da Kiefer. Romano Fenati aparece na terceira posição com uma diferença de impressionantes 9s704.

Karel Hanika aparece na sequência, a apenas 0s010 mais lento que o piloto da VR46. Antonelli virou em 1min57s333 e ficou com a posição intermediária da segunda fila. Jakub Kornfeil aparece logo atrás, com Enea Bastianini e abriu a terceira linha da grelha. Francesco Bagnaia, Andrea Locatelli e Isaac Viñales completam o rol dos dez primeiros. Fabio Quartararo mostrou ritmo de pole, mas sofreu uma queda na parte final da sessão e não conseguiu voltar por conta dos danos na NSF250RW. O francês ficou em 13º, com a sua melhor volta em 1min57s741.

AS QUALIFICATIVAS
Depois da classificação tumultuada de Le Mans, os pilotos da Moto3 respiraram aliviados com o clima de Mugello. Sem previsão de chuva, os competidores entraram na pista para o treino classificativo com os termómetros a marcar 21ºC e a pista a atingir a marca de 40ºC. A velocidade dos ventos estava na casa dos 10 km/h.

O líder do Mundial, Danny Kent, foi o primeiro a aparecer na pole provisória, 0s254 à frente de Isaac Viñales. Jakub Kornfeil, Miguel Oliveira e Niccolò Antonelli completavam o top-5 após a primeira volta rápida. Na sequência, Antonelli anotou 1min57s726 e assumiu a liderança da sessão, obteve 0s106 de vantagem para Kent. Bastianini saltou para terceiro à frente de Oliveira e Kornfeil. Danny abriu uma óptima volta, mas perdeu tempo na parcial final. Pouco depois, o tempo do número 52 foi cancelado pela direcção de prova por exceder os limites da pista.

Bastianini também abriu uma boa volta, mas não conseguiu assumir a liderança, apenas manteve o terceiro posto, agora com 0s113 de atraso para Antonelli. Na tentativa seguinte, Kent cravou 1min57s706 e assumiu a liderança ao abrir 0s020 de vantagem para Antonelli. Com o primeiro terço do treino completado, os pilotos começaram a entrar nas boxes para os primeiros ajustes da sessão. Kent tinha a pole provisória, seguido por Antonelli, Bastianini, Oliveira, Viñales, Hiroki Ono, Jakub Kornfeil, Jules Danilo, Romano Fenati e Livio Loi.

De volta à pista, acompanhado pelo companheiro de Estrella Galicia 0,0, Fabio Quartararo cravou 1min58s035 e saltou para o quinto posto, 0s329 atrás do líder. Na passagem seguinte, Navarro foi “puxado” por Fabio na recta de Mugello e saltou para o 11º lugar, 0s784 atrás do líder. Na sequência, o jovem francês errou a travagem da San Donato, mas conseguiu evitar a queda e voltou para a pista sem maiores problemas. Na metade da sessão, Oliveira aproveitou o vácuo de Brad Binder para registar 1min57s657 e assumir a liderança ao abrir 0s049 de vantagem para Kent. Antonelli vinha em terceiro, seguido por Bastianini e Quartararo.

Depois da escapadela na curva 1, Fabio voltou aos boxes da Estrella Galicia 0,0 para checar a moto e os pneus. Pouco depois, Romano Fenati cravou 1min57s702 e subiu para o segundo posto, 0s045 atrás de Oliveira e apenas 0s004 à frente de Kent. Enfileirado com os companheiros de equipa e a rodar atrás de Alexis Masbou, Karel Hanika anotou 1min58s043 e saltou para a sétima posição. Na sua 11ª volta, Fenati anotou 1min57s319 e assumiu a liderança, ao abrir 0s338 de vantagem a Oliveira. O piloto da VR46 deu sorte de encontrar María Herrera na recta para poder usar o vácuo.

Com mais um terço do treino completo, os pilotos partiram para a última paragem, mas voltaram para a pista sem muita demora. Fenati liderava, seguido por Oliveira, Kent, Antonelli, Bastianini, Quartararo, Hanika, Viñales, Ono e Kornfeil.

OBJECTIVO
Márquez garante lutar pelo título


O espanhol Marc Márquez, da Honda, garantiu que ainda tem as condições de lutar pelo título e pode ser o terceiro consecutivo, apesar da distância para o líder da competição, o italiano Valentino Rossi, da Yamaha. “Embora esteja a 33 pontos, é como no ano passado, quando tinha a vantagem e dizia que tudo poderia acontecer. Agora, que estou para trás, penso igual, que nada é impossível”, disse o quarto classificado na tabela. Marc Márquez marcou 69 pontos até o momento e é o único piloto que não defende a Yamaha a vencer na presente época, mais precisamente no Grande Prémio das Américas, em Austin, nos Estados Unidos da América.

De acordo com o piloto espanhol, é preciso começar a diferença gradativamente. “Não é um problema que se soluciona de uma corrida para outra, mas o importante é que ideias surgem, que há envolvimento de todas as partes, da Honda, da equipa e minha também. Estamos conscientes de que vai haver circuitos que gostamos mais e outros menos, mas é preciso tirar 100 por cento”, garantiu.  Márquez estreou-se na MotoGP em 2013 e ostenta dois títulos de campeão  mundial