Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Di Montezemolo teme pelo futuro

15 de Julho, 2014

Di Montezemolo é a favor de regras que proporcionem espectáculo à modalidade

Fotografia: AFP

O presidente da Ferrari, Lucca di Montezemolo, criticou mais uma vez as regras da Fórmula 1 e afirmou que teme pelo futuro da modalidade, “cada dia mais aborrecida”.

Di Montezemolo disse que os pilotos se transformaram em motoristas de táxi, porque têm de se preocupar a todo o momento com os pneus e o combustível e mostra-se insatisfeito com a abordagem da FIA ao campeonato mundial.

“As regras são muito complicadas. Os pilotos precisam de economizar combustível e pneus em vez de correrem rápido. As equipas precisam de decidir quanto combustível devem usar e quando os pneus estão gastos”, criticou Lucca di Montezemolo em entrevista à revista alemã "Focus".

Montezemolo, desta vez, ameaçou tomar medidas, caso Bernie Ecclestone não se manifeste. O mandatário da Ferrari pretende mudar o cenário actual.
“Se ele não agir, eu vou agir, é meu dever. A necessidade de se fazer algo para recuperar o charme da F-1 é urgente. Antes, era a melhor pessoa que ganhava no melhor carro. Agora, os telespectadores, nas bancadas e à frente das TV já nada entendem. Conforme está, precisamos de fazer algo. De contrário, a F1 não tem hipóteses”, finalizou Lucca di Montezemolo.

No mês passado, Luca di Montezemolo disse, em entrevista ao jornal "The Wall Street Journal", que a Ferrari pode abandonar a Fórmula 1 para se concentrar nas corridas de resistência.

"A Fórmula 1 já não funciona ", declarou o líder da Ferrari.
"Está em baixo, já que a Federação Internacional de Automobilismo se esqueceu de que as pessoas seguem as corridas pelas emoções que elas provocam. Ninguém as acompanha para ver a eficiência dos carros", acrescentou Lucca di Montezemolo.

"Ninguém quer ver um piloto a economizar gasolina ou pneus. As pessoas querem ver os pilotos a pisarem fundo para ir de um ponto a outro.  A F1 é um desporto, sim, mas também é um espectáculo", ressaltou o chefe da "Scuderia".

Montezemolo referia-se à última grande revolução nos regulamentos da Fórmula 1 para reduzir custos e tentar modernizar-se, o que inclui a introdução de um novo motor V6 turbo híbrido, menos barulhento e menos poluente.

A Ferrari, a par da Fiat, é a equipa mais emblemática da principal categoria do automobilismo mundial e conta com 15 títulos no Mundial de pilotos, 16 títulos de construtores e 221 vitórias em Grandes Prémios.

A equipa participa no Mundial desde a sua criação, em 1950. Também já disputou provas de resistência e venceu as 24 Horas de Le Mans em nove ocasiões. Tem como fundador Enzo Ferrari, que decidiu concentrar todos os seus esforços na Fórmula 1 a partir de 1973.

QUINTO
Sebastian Vettel
sonha com o título


O piloto Sebastian Vettel ainda sonha com o quinto título na Fórmula 1, mas sabe que não tem vida fácil, já que Nico Rosberg está 100 pontos à frente na classificação.

O piloto da Red Bull tem ainda hipóteses matemáticas e recusa declarar-se derrotado ao garantir ir lutar até ao último minuto pelo título.
Sebastian Vettel só conseguiu ir ao pódio em duas oportunidades nesta época, ambas em terceiro lugar, nos GP da Malásia e do Canadá. Depois de nove corridas, Vettel soma 70 pontos. O objectivo principal agora é correr atrás do desempenho apresentado pela Mercedes e reduzir a desvantagem.

“Se olharmos para os pontos e para a matemática, vimos que ainda podemos lutar pelo campeonato, então é estupidez dizer que estamos fora. Sendo realista, a Mercedes está numa posição em que pode ganhar todas as corridas a fazer dobradinhas sem ter ninguém a incomodar a não ser que as coisas estejam a dar errado”, analisou Sebastian Vettel.

O piloto tem um motivo especial para acreditar numa melhoria de rendimento. Vai disputar o próximo GP em casa, em Hockenheim, na Alemanha, no dia 20 de Julho.

“A nossa meta é alcançá-los cedo ou tarde, mas a distância é muito grande, portanto é difícil diminuí-la num curto espaço de tempo. Eu nunca me senti tão stressado durante a época para me concentrar no campeonato. Enfrentei corrida por corrida e tentei tirar o melhor de mim e do carro”, finalizou Sebastian Vettel.