Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dilma acende tocha olímpica

04 de Maio, 2016

Dilma Rousseff disse que o Brasil criou condições para dar a melhor recepção a todos os atletas e visitantes estrangeiros

Fotografia: AFP

A tocha dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 foi acesa ontem em Brasília,  pela presidente Dilma Rousseff. A política realizou o acto simbólico no Palácio do Planalto, após uma cerimónia e passou o artefacto para as mãos da jogadora de voleibol Fabiana Claudino, que deu início oficial ao revezamento da tocha.A chama olímpica chegou ao Brasil ontem terça -feira vinda da Suíça, onde esteve nas sedes da Organização das Nações Unidas e do Comité Olímpico Internacional. Ela foi oficialmente acesa em Olímpia, na Grécia, em 21 de Abril e também foi levada em revezamento pelo país europeu.

“O Brasil  torna-se agora o País das Olimpíadas com o acender da tocha olímpica. A emoção deste dia, sem sombra de dúvida, vai ficar marcada na nossa memória, no nosso coração e na história do nosso País. E, também na história dos Jogos Olímpicos”, discursou a presidente Dilma Rousseff.A cerimónia que  marcou o acender da tocha em Brasília contou com a presença de atletas, autoridades e apoiantes da mandatária nacional, o que deu um tom político ao evento. O ministro do Desporto, Ricardo Leyser, discursou a elogiar a mandatária nacional e ressaltou os grandes eventos desportivos que o Brasil sediou nos últimos anos, como os Jogos Pan-Americanos de 2007, os Jogos Mundiais Militares de 2011, a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014.

Após a fala de Leyser, alguns presentes à cerimónia tentaram puxar em coro a frase “não vai ter golpe”, utilizada pelos partidários do governo para protestar contra o processo de impeachment em vigor. A cerimónia ainda contou com discursos do presidente do Comité Olímpico do Brasil e do Comité Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, Carlos Arthur Nuzman, do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e do nadador Thiago Pereira.

“Mesmo a conviver com um período difícil, muito difícil, verdadeiramente crítico da nossa história e da história da democracia, o Brasil saberá conviver porque criamos todas as condições para dar a melhor recepção a todos os atletas e visitantes estrangeiros”, disse a política.Foi Dilma quem acendeu oficialmente a tocha olímpica no País, utilizou a chama que chegou ao Brasil mais cedo nesta terça-feira. Poucos segundos depois, o artefacto estava na mão da bicampeã olímpica de voleibol Fabiana Claudino, que desceu a rampa do Palácio do Planalto e deu início ao revezamento no Brasil.A tocha passa pela mão de 12 mil pessoas em 329 cidades do Brasil até chegar ao Maracanã  a 5 de Agosto, quando for utilizada para o acendimento da pira olímpica dos Jogos do Rio de Janeiro 2016.

RECEPÇÃO
Turistas no Rio vão ser bem recebidos


A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (3) que o Brasil vai receber bem atletas e turistas estrangeiros para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, apesar da grande instabilidade política actual no país. Dilma participou nesta manhã da cerimónia de acendimento da tocha olímpica no Palácio do Planalto.“Sabemos das dificuldades políticas que existem em nosso país hoje. Conhecemos a instabilidade política. O Brasil será capaz de, mesmo convivendo com um período difícil, muito difícil, verdadeiramente crítico da nossa história e da história da democracia do nosso país, conviver porque criamos todas as condições para isso com a melhor recepção de todos os atletas e de todos os visitantes estrangeiros.

Tenho certeza de que um país cujo povo sabe lutar pelos seus direitos e que preza e sabe proteger a sua democracia é um país onde as Olimpíadas terão o maior sucesso nos próximos meses”, ­afirmou, ao fazer referência ao processo de impeachment que tramita contra ela no Senado Federal.Ao dar as boas-vindas à chama olímpica, Dilma disse que o Brasil está pronto para realizar a mais bem-sucedida edição dos Jogos Olímpicos. “Está pronto e nós trabalhamos para isso. Praticamente, todas as instalações desportivas nos centros olímpicos da Barra e de Deodoro estão prontas. Todos os 39 eventos-testes realizados até agora foram bem-sucedidos”, acrescentou.

Dilma ressaltou que o povo brasileiro será os melhores anfitriões para atletas e visitantes. “O Brasil é um país onde expressões culturais as mais diversas, inclusive no campo religioso, tem o seu espaço e a sua vez. Essa capacidade de culturas diferentes conviverem de forma respeitosa é uma das principais mensagens que as Olimpíadas e as Paraolimpíadas afirma como exemplo para humanidade”.