Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dinheiro embaraça gala de Tony Kicanga

Silva Cacuti - 20 de Janeiro, 2015

Dinheiro embaraça gala de boxe

Fotografia: Jornal dos Desportos

O campeão mundial de boxe da versão do Conselho Universal de Boxe (UBC), na categoria de meio-pesado (79,9 Kg) só defende o título na sua posse a sete de Fevereiro, ao invés de 24 do corrente como estava previsto. O adiamento da gala foi anunciado, ontem, por Gaspar Guedes, promotor da gala que se disputa na cidade de Malange.

Gaspar Guedes justificou o adiamento da gala em que o angolano é desafiado pelo pugilista georgiano George Aduashvili com a falta de dinheiro para custear o "cachet", avaliado em 8,2 milhões de Kwanzas.
"Infelizmente, não nos vai ser possível realizar o evento como previsto, no dia 24 de Janeiro, porque tivemos várias dificuldades em conseguir apoios para garantir o pagamento do 'cachet'.

A nossa organização tudo fez, no sentido de, em  Luanda e Malange, convencer os empresários para ajudarem naquilo que é o 'cachet', mas não tivemos respostas positivas. Por isso, decidimos adiar até ao dia sete de Fevereiro, data em que esperamos ter a resposta das solicitações endereçadas ao empresariado nacional", disse.

O promotor apelou à sensibilidade do empresariado nacional e realçou o facto de Tony Kicanga merecer o carinho da sociedade angolana, por ser um atleta que sempre elevou bem alto as cores da bandeira nacional.

Na gala do dia sete de Fevereiro, Tony Kicanga volta a pôr os seus créditos em prova e com isto elevar mais uma vez o orgulho angolano.
"Já me sinto malangino", disse o campeão, num aceno aos habitantes da cidade que vai acolher a gala.
"Sou profissional e jogo ali, onde o promotor entender realizar a gala. De qualquer forma, estarei em casa, é pelo meu povo que vou descer ao ringue para tentar, mais uma vez, erguer o título mundial", disse.

A promotora refere que, com apoios do Ministério da Juventude e Desportos e do Governo de Malange já estão assegurados o alojamento, segurança e outros aspectos organizativos.

"O que falta é apenas o valor do 'cachet'. Todos os outros aspectos estão assegurados", sublinhou.
Gaspar Guedes disse que, além do combate principal, a gala vai ter outro combate profissional e outros em boxe amador. Estão ainda garantidas as animações culturais com cantores de Luanda e locais.

GALA PODE SAIR
DE ANGOLA


A gala de atribuição do título mundial de boxe nas versões Conselho Mundial de Boxe (WBC) e Conselho Universal de Boxe (UBC) em que serão protagonistas o detentor do título da UBC e o georgiano George Aduashivili pode ser disputada fora das fronteiras angolanas se não surgir apoio do empresariado no sentido de assegurar o pagamento do "cachet", admitiu Gaspar Guedes.

"Se até a data não obtivermos uma resposta do empresariado, uma possibilidade que não acreditamos venha acontecer, então, infelizmente, teremos de organizar a gala ali onde seja possível fazer e isto pode ser no estrangeiro", admitiu.

Gaspar Guedes fez notar que há necessidade de Tony Kicanga defender o título que ostenta. Por isso, o apelo ao país, à sociedade angolana, para que conceda a oportunidade ao seu filho defender na sua própria terra o título mundial.
SC