Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Diógenes de Oliveira reeleito na Faci

Álvaro Alexandre - 25 de Abril, 2013

Presidente da lista de consenso teve cinco votos a favor

Fotografia: Jornal dos Desportos

O líder da lista de consenso, Diógenes de Oliveira, foi reconfirmado ontem presidente de direcção da Federação Angolana de Ciclismo (Faci) no acto eleitoral realizado no anfiteatro do Comité Paralímpico Angolano. Diógenes Oliveira foi eleito para o terceiro mandato com cinco votos a favor, um nulo e sem votos contra ou abstenções.

A recondução de Diógenes der Oliveira para presidir os detinos da Faci no quadriénio de 2012/2016 foi pacífica. A lista de consenso foi aprovada pelos delegados, que representaram seis associações provinciais, correspondendo 66 por cento da massa votante apurada para o processo eleitoral. Participaram da votação, representantes das Associações do Uíge, Bengo, Lunda-Norte, Huíla, Cunene e Luanda.

Não exerceram o direito a voto os representantes de Cabinda e de Kwanza-Sul, por terem chegado atrasados ao local de votação. O regulamento eleitoral estipula que até às 12h00 os eleitores deviam estar no local da votação. A Associação Provincial de Ciclismo de Benguela esteve ausente O segundo centro dinamizador da modalidade no país foi impedido de votar por estar à margem da lei do associativismo desportivo. Benguela não realizou o processo de renovação de mandato dos órgãos sociais.

A tomada de posse da lista presidida por Diógenes de Oliveira é hoje, às 19h00, no Cine 1º de Maio, em Luanda. A cerimónia conta com a presença de 41 ementos. Para a Assembleia é empossado Dumilde Rangel (presidente), Leonel Mateus (vice-presidente) e Mário Moreira (secretário). A Direcção é constituída por Diógenes Oliveira (presidente), os vice-presidentes João Francisco, Gilcristh Adolfo, Justiniano Araújo e Cremilda Rangel, Alex Futi (secretário-geral); os vogais Sebastião Cambanza, Gilberto Major, Lucrécia da Piedade, Bráulio Santos, João Samba, Josefa Sangueve e Inácio Neto.

O Conselho Fiscal é formado por Arão de Almeida (presidente), Edmundo de Oliveira (vice-presidente) e João Sakala (vogal); no Conselho Jurisdicional: Leona Graneira (presidente), Ana Isabel Gonçalves (vice-presidente) e Cristina Imbundo (vogal) e o Conselho de Disciplina: António Francisco (presidente), Artur Júnior (vice-presidente) e Abel Santana (vogal).

Para o Conselho Técnico Desportivo vão ser empossados José Mucanza (presidente), Márcio Guevara (vice-presidente), os vogais Jaime Santo Oliveira, Mário Roças, Filipe de Carvalho, Sebastião António, Paulo Afonso, José Jorge e Manuel Afonso. No Conselho de Arbitragem: Aníbal Gomes (presidente), Anselmo da Cunha (vice-presidente) e os vogais Alfredo Mulato, Carlos dos Santos, Hiduana Cahanda, Manuel de Oliveira e Lucimar Francisco.  No final da votação, Diógenes de Oliveira afirmou:

“O voto de confiança confere ao meu grupo extrema responsabilidade. Estamos condenados a trabalhar bastante. O objectivo visa concretizarmos com sucesso as propostas assumidas para o quadriénio de 2012/2016”, disse.

A melhoria dos resultados internacionais vão merecer uma atenção especial. “A nossa meta é de conseguir a primeira medalha de bronze nas competições internacionais. Vamos procurar participar com regularidade nos Jogos Pan-Africanos e nas outras provas continentais”, concluiu. AA

Petacchi anuncia retirada
O italiano Alessandro Petacchi, dos melhores velocistas do pelotão mundial na última década, anunciou a sua retirada do ciclismo, depois de 18 anos como profissional.O ciclista evocou a importância de “procurar novos desafios” e de estar mais tempo com a família.

“Consegui 200 vitórias e sinto que a minha vida chega a um momento singular, a um ponto de viragem em que sinto a necessidade de encontrar uma nova dimensão e ter mais tempo para dedicar à minha família”, disse o velocista num comunicado no sítio oficial da sua equipa Lampre-Merida.

AleJet, alcunha pela qual é conhecido, afirmou que a carreira de 18 anos foi sempre “cheia de alegrias e enriquecida” com muitas vitórias importantes.
“Agora, quero dizer adeus a todos os adeptos de ciclismo, considerando que talvez haja uma oportunidade de voltar um dia a fazer parte do mundo que me deu tanto, oferecendo a minha experiência a novas gerações”, disse.

Petacchi, que vestia as cores da Lampre desde 2010, venceu as clássicas Milão-San Remo (2005), Paris-Tours (2007) e seis etapas do Tour de França e a camisola verde em 2010.

O ciclista, que começou em 1966 a carreira, conquistou 22 vitórias em etapas da Volta a Itália, as seis primeiras em 2003. No ano seguinte ganhou nove, todas ao “sprint”. No Giro de 2007 teve um controlo antidoping positivo, a salbutamol. Foi suspenso por um ano pelo Tribunal Arbitral do Desporto depois de ter sido ilibado, em primeira instância, pela federação italiana de ciclismo.