Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Diógenes é reeleito na FACI

Álvaro Alexandre - 24 de Abril, 2013

Diógenes de Oliveira, candidato de consenso, é reeleito

Fotografia: Jornal dos Desportos

Diógenes de Oliveira, candidato de consenso, é reeleito hoje, às 10h00, no anfiteatro do Comité Paralímpico Angolano (CPA), para o terceiro mandato consecutivo no cargo de presidente de direcção da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), para o quadriénio de 2012/2016.

As eleições têm início às 10h00, num acto eleitoral que se antevê pacífico, já que os associados das 11 províncias vão participar numa acção revestida de formalismo. O dia de hoje serve para colocar “preto no branco” as decisões tomadas por consenso nos encontros que antecederam a data da marcação definitiva das eleições na FACI.

Diógenes de Oliveira mereceu o voto de confiança dos associados para presidir, pelo terceiro mandato consecutivo, a direcção da FACI por ter conseguido convencer no seu modelo de gestão.

A revisão dos integrantes da lista da FACI que hoje vão as eleições mereceu a aprovação dos associados.

O ex-secretário-geral, João Francisco, foi proposto para o cargo de vice-presidente para Cooperação e Marketing. Para o seu lugar está a concorrer o Alex Futi, antigo vice-presidente do Conselho Técnico Desportivo.

Para equilíbrio da lista, dois membros da “oposição” vão se responsabilizar das duas vice-presidências. O antigo praticante Justiniano Araújo, concorre para dirigir a vice-presidência dos Assuntos Desportivos e Gilcristh Adolfo, candidato derrotado no último processo eleitoral, compete para o cargo de vice-presidente para a Administração.

O projecto da FACI para os próximos quatro anos baseiqa-se em cinco pontos basilares: continuar a melhorar os níveis de organização desportiva (institucional e organizacional), prosseguir com o programa de lançamento do ciclismo feminino (desportivo), melhorar os métodos de captação de patrocínios e parceiros (financeiro), tornar a área mais funcional e dotá-la de meios e recursos para um melhor desempenho (marketing), e promover acções formativas para dirigentes, árbitros e treinadores de ciclismo (formação). Álvaro Alexandre


CICLISMO
Queda colectiva na volta à Turquia

Uma queda colectiva, envolvendo grande parte do pelotão, já no último quilómetro, marcou a segunda etapa da Volta à Turquia. Os ciclistas rodavam a alta velocidade para mais uma discussão da vitória ao “sprint”, quando na frente do pelotão um deles cai, provocando depois o efeito dominó. Houve mesmo bicicletas a voarem, além de o gradeamento de protecção de uma das margens ter sido deitado ao chão. Não se sabe ainda se alguns dos ciclistas ficaram magoados.

Apenas meia dúzia de corredores conseguiu escapar, decidindo-se entre eles o triunfo na tirada, que acabou por pertencer ao bielorrusso Aidis Kruopis, da Orica. Como a queda aconteceu no último quilómetro, todos os ciclistas foram cronometrados com o mesmo tempo do vencedor, entre eles os três portugueses. Manuel Cardoso (Caja Rural) foi 40º, Bruno Pires (Saxo-Tinkoff) 86º e José Mendes (NetApp) 122.