Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dionísio Viegas aposta na união

10 de Novembro, 2016

Dionísio Viegas quer união de sinergias para bem da modalidade

Fotografia: José Soares

O diagnóstico ao estado do hóquei em patins é o elemento que motiva Dionísio Luís de Almeida Viegas, antigo praticante, a apresentar-se como candidato às eleições na Federação Angolana de Patinagem, previstas para 21 de Dezembro. A partir do diagnóstico resultaram duas preocupações consideradas chaves pelo candidato: união e motivação.

Em conferência de imprensa, realizada ontem, disse: "Pretendemos unir, porque a família da modalidade está desunida. O fim principal da união é agregar valores para mais competitividade e abrangência inclusiva da modalidade no país. Queremos motivar a massa associativa, jogadores, treinadores, dirigentes e amigos a acreditarem e contribuírem para o desenvolvimento da modalidade".
Dionísio de Almeida garantiu que o seu elenco representa a mudança nos paradigmas de gestão da modalidade
.
"O nosso movimento vem criar uma oportunidade de mudança na família do hóquei em patins, na gestão da modalidade, baseada nos seguintes pilares: Organização, Responsabilidade, Seriedade e Transparência. É preciso alavancar a modalidade. Vamos fazer um programa realista, sem demasiada ambição, a partir do realismo, sem sonhos nem demagogias", destacou.

Falava na altura para uma plateia com nomes sonantes da modalidade, como Carlos Freitas, Luís Miguel, Nelson Costa, António Fernandes "Samuel", Armando Viegas e outros, o candidato referiu que o elenco tem pessoas essencialmente ligadas à modalidade,  todos os que forem chamados vão ser "no mínimo, amigos do hóquei em patins".

Dionísio Viegas, engenheiro naval, considera que a modalidade regrediu, depois do mundial de hóquei em patins acolhido no país. Revelou que o seu elenco não conta apenas com a dotação financeira do Orçamento Geral do Estado. "Tenho alguns apoios. Eu próprio sou um apoio. A minha presença é para apoiar o hóquei em patins.

Para um programa realista que temos, há apoios. Não vamos dar passos maiores, não vamos deixar dívida a ninguém", garantiu.
O candidato não apresentou o programa de candidatura,  por “não ser o momento para tal”.  Dionísio aguarda pelo arranque efectivo do processo eleitoral e a prestação de contas do actual elenco federativo.

Samuel aplaude
união da família

O antigo craque da selecção nacional, António Fernandes "Samuel", mostrou-se expectante com o programa de candidatura de Dionísio Viegas, o seu antigo companheiro nas quadras desportivas. "Penso que a união e a motivação da família são pontos fortes para começar. Por isso, acredito neste programa.

Aliás, conheço bem o Dionísio e mesmo antes de se apresentar como candidato, já falava da necessidade de união e, principalmente, de motivação dentro dos agentes. Creio que é uma oportunidade para as pessoas do hóquei, que andam desmotivadas, regressarem e unirem esforços por esta causa", considerou.

Armando Machado Viegas, antigo jogador, treinador e dirigente do Petro de Luanda, trabalhou com Dionísio enquanto treinador. Viegas referiu que foi com honra que aceitou fazer parte do projecto, depois de ter visto o hóquei em patins não ganhar convenientemente com a disputa do Campeonato Mundial no país.

"O projecto deste grupo de trabalho é muito bom. Conheço a capacidade de trabalho do Dionísio. É uma pessoa que tem amor à modalidade. Acredito neste grupo de trabalho e estou disposto a reencarnar o que foram os 25 anos que dediquei ao hóquei em patins", disse.

Armando Machado Viegas esclareceu que "para ser dirigente é preciso ter amor e não pode ser por título". Por isso, "é um projecto aberto a todas as pessoas para participarem; há muita gente afastada e podem dar o seu contributo".