Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Director está satisfeito com motor Mercedes

26 de Janeiro, 2016

Director de performance da Williams Rob Smedley

Fotografia: AFP

Depois dos rumores da possível troca do fabricante de seus motores, o director de performance da Williams, Rob Smedley, garantiu que a equipa vai continuar com a Mercedes. "Antes de qualquer coisa, estamos muito, muito felizes com o nível do serviço e a unidade de potência que temos da Mercedes", disse, ao site Motorsport.com.

A tradicional equipa britânica, utilizou os motores Renault até 2013, quando deixou a marca francesa e passou a utilizar os da marca alemã. Smedley destacou o bom trabalho da Mercedes,. como fabricante, e comentou que a marca proporciona para a Williams uma unidade de potência incrível.

No ano passado, a Williams terminou a classificação dos construtores, em terceiro lugar com 257 pontos. Já a Mercedes, equipa do piloto campeão Lewis Hamilton, ficou em primeiro lugar com 703 pontos somados.

COMITÉ OLÍMPICO
Rússia suspende quatro atletas


Uma nova etapa do processo de “limpeza,” no atletismo russo, o Comité Olímpico do país suspendeu ontem quatro competidores por doping, entre eles Irina Maracheva, vice -campeã europeia de 800 metros. Maracheva foi suspensa por quatro anos, com base em documentos, enviados pela Federação Internacional do Atletismo (IAAF). Anna Lukyanova, da marcha olímpica, e as corredoras Yelena Nikulina e Maria Nikolayeva, também levaram a mesma punição.

Em Novembro, o atletismo russo foi banido de todas as competições internacionais, pela IAAF,  corre sério risco de ficar fora dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Para que a Rússia participe nas provas de atletismo, na Cidade Maravilhosa, o país precisa de comprovar que está a fazer esforços significativos para acabar com o sistema de doping organizado. que foi denunciado por um relatório da Agência Mundial Antidoping.

No dia 16 de Janeiro, a Federação Russa de Atletismo (Araf), elegeu um novo presidente, Dmitri Chliakhtin, que só vai permanecer no cargo até Setembro ou Outubro, tempo necessário para tirar a entidade da crise.