Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dirigente destaca ganhos da Independência

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 01 de Novembro, 2015

os kartings que são lançados a nível da Europa, Angola também já os têm.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O vice-presidente para o karting e motociclismo da Federação Angolana de Desportos Motorizados (FADM), Augusto Diogo, destacou no Lubango, que os fortes investimentos que Angola está a efectuar no desporto motorizado de forma a dotar a modalidade ao mesmo nível internacional é o benefício dos 40 anos de Independência Nacional, que se assinala no dia 11 do corrente mês, em todo país.

 Augusto Diogo reconheceu que desde o momento que os angolanos se tornaram independentes começaram a ser donos das suas próprias atitudes e a partir daí, tudo isso veio contribuir na melhoria do desenvolvimento do desporto no geral em Angola e em particular o desporto motorizado.

 “Fomos conquistando os nossos espaços e temos estado a dar passos muito seguros e principalmente a conquista da Paz efectiva dos 13 anos, o desporto desenvolveu-se significativamente”, ressaltou.

Fruto dos 40 anos de Independência Nacional, apontou, temos nas motos de 600 centímetros cúbicos (cc) pilotos que foram adquirir inclusive motas da Europa muito competitivas na classe de AGP e carros na classe dos 2000, daí, o elevado grau de competitividade existente entre essas categorias e não só. Salientou que todos os kartings que são lançados a nível da Europa, Angola também já os têm.

 Disse que apesar dos ganhos que a independência trouxe, o desporto motorizado, precisa de mais apoios.
 Confessou que uma das dificuldades momento cinge-se com a inexistência de espaços para desenvolver o desporto motorizado porque actualmente é praticado em recintos não muito apropriados.

 “Precisamos de autódromos, kartódromos, entre outros. Mas com o que vamos tendo, por exemplo, vamos aproveitar os parques de estacionamentos de viatura dos estádios para fazer algumas competições e alguns trajectos citadinos para também fazer algumas provas. Porém, temos tudo para que consigamos granjear o nome do país a nível internacional no desporto motorizado”, garantiu.
    
 Augusto Diogo ressaltou que o karting é a escola a nível de qualquer competição do mundo no desporto motorizado. Aclarou que qualquer piloto bom que estás na Formula 1, passou pelo karting e quem não tenha passado pelo karting não se torna bom piloto porque falta-lhe o básico.