Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dirigentes elogiam Felipe Massa

29 de Dezembro, 2014

Felipe Massa optimista em correr ao nível da Mercedes na próxima época que começa em Março

Fotografia: AFP

Felipe Massa superou a desconfiança na Fórmula 1, com uma época muito competitiva na nova equipa. Contratado pela Williams no final de 2013, o brasileiro somou 134 pontos e foi três vezes ao pódio, ao longo de 2014, superou os desempenhos das últimas épocas de Ferrari, em que somou 118 pontos em 2011, 122 pontos em 2012 e 112 pontos em 2013.

A competitividade de Felipe Massa surpreendeu os dirigentes da Williams. A  performance do brasileiro superou inclusive as expectativas internas dos dirigentes, conforme Pat Symonds, director técnico da equipa britânica. Em declarações ao site da revista Autosport, Pat Symonds disse “todos sabiam o quanto o Felipe era rápido e não faz tanto tempo que quase foi campeão”, em referência ao vice-campeonato do brasileiro em 2008.

O responsável da equipa assegurou que só passou a conhecê-lo bem, depois de chegar à Williams. “É um grande homem e companheiro de equipa. Na verdade, é mais rápido do que esperava”, disse. Pat Symonds afirmou que a saída da Ferrari, após oito épocas, fez bem ao piloto brasileiro que respira novos ares na nova equipa.

“Este é um bom exemplo de pessoa que flui ao ser colocada num novo ambiente. Agora, está no lugar perfeito e a equipa também. Demos-lhe a liberdade que precisava, como retorno, deu-nos credibilidade, velocidade e pontos”, avaliou o director.

Com o sétimo lugar da época, Massa terminou atrás de Fernando Alonso (sexto, com 134 pontos), mas à frente de rivais como Jenson Button (126 pontos) e Kimi Raikkonen (55 pontos). Para Pat Symonds, o desempenho do brasileiro podia ter sido melhor caso tivesse escapado de alguns acidentes.

“Na Austrália, o que poderia fazer com Kobayashi vindo por trás dele? Há coisas que não se conseguem evitar”, lembra o dirigente e referiu-se à batida provocada pelo japonês da Caterham na largada da corrida em Melbourne. “Em Silverstone, as reacções salvaram-no de um acidente bem pior, quando atingiu Raikkonen.

Qualquer um teria sofrido aquele acidente”, completou, citando a pancada do finlandês no brasileiro durante o Grande Prémio da Inglaterra. Pat Symonds admitiu que a falta de sorte tirou alguns bons resultados da equipa. “Fico frustrado quando olho para trás e conto todos os pontos que deveríamos ter somado”, resumiu.