Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Djokovic líder mundial

17 de Setembro, 2015

Tenista sérvio acaba o ano como número um mundial pela quarta vez

Fotografia: AFP

O sérvio, de 28 anos, garantiu segunda-feira que vai acabar o ano como número um mundial do ténis, pela quarta vez na sua carreira, um dia depois de ter conquistado o título no US Open.Com os pontos somados como  no seu segundo troféu em Nova Iorque, conquistado diante do suíço Roger Federer, Djokovic assegurou matematicamente que vai terminar a temporada como líder do “ranking” mundial, tal como em 2011, 2012 e 2014.“É uma sensação fantástica saber que vou ser outra vez número um no final do ano. É para isto que luto desde 1 de Janeiro”, confessou em declarações à ATP.

O sérvio é o sexto jogador a conseguir acabar a época como número um mundial em quatro ou mais ocasiões, seguindo os passos dos norte -americanos Pete Sampras (6) e Jimmy Connors (5), do suíço Roger Federer (5), do checo Ivan Lendl e do também norte-americano John McEnroe (4).Este ano, “Djoko” jogou 11 finais, conseguiu sete títulos, três do “Grand Slam” (Austrália, Wimbledon e Estados Unidos) e quatro Masters 1000 (Indian Wells, Miami, Monte Carlo e Roma).

Um registo impressionante, a acrescentar o estatuto de finalista em Roland Garros, o outro “major” permitiu-lhe  tornar-se no primeiro tenista a alcançar os 16 mil pontos em 52 semanas de actividade, desde que o novo formato do “ranking” mundial entrou em vigor.Além disso, até ao final de 2015 vai tornar-se o quinto jogador com mais semanas como número um - neste momento tem 164, mas a 2 de Novembro pode ultrapassar as 170 de McEnroe.Só Federer (302), Sampras (286), Lendl (270), Connors (268) e McEnroe, este último  até ao momento, passaram mais semanas no primeiro lugar da hierarquia desde 1973.

 EXPERIÊNCIA
Repetir o feito, de conquistar três dos quatro torneios mais importantes do mundo, deixou o tenista número 1 do ranking da ATP orgulhoso, mas ele ressaltou que é diferente do que era em 2011.“Eu acho, que é definitivamente mais difícil de repetir algo como esse, do que fazê-lo pela primeira vez. Eu sou um jogador diferente, uma pessoa diferente do que eu era em 2011. Como pai e como marido, a viver diferentes variedades de coisas na minha vida, é completamente diferente a abordagem do ténis nos dias de hoje”, disse o tenista.

Novak Djokovic encaminha o fim da temporada de 2015 como soberano dentro das quadras, perdeu só seis partidas e triunfou em 70 ocasiões, o que lhe proporciona um aproveitamento de 92 por cento. Apesar disso, o sérvio quer mais e para  manter-se como o melhor tenista do mundo tem de continuar a jogar em alto nível como fez nesses últimos anos.“Eu sinto-me mais realizado. Sinto - me mais completo como jogador do que eu era em 2011. Fisicamente mais forte, mentalmente mais experiente e mais duro. Estou a tentar usar a minha experiência em cada jogo, especialmente nas grandes partidas como a de hoje”, finalizou.

BREVE
Marin Cilic desfalca
Cróacia na Copa Davis

Eliminado na semifinal do Open dos Estados Unidos, pelo campeão Novak Djokovic, o croata Marin Cilic não recuperou de uma lesão sofrida nos oitavos de final do torneio e vai ser desfalque na Copa Davis. O tenista torceu o tornozelo direito e teve de ser substituído.De acordo com as informações do site oficial da Copa Davis, o substituto do número 14 do mundo pode ser o tenista de 22 anos Mate Delic, que ocupa a 499ª posição no ranking da ATP.Agora, o conjunto croata, vai defrontar o conjunto brasileiro Thomaz Bellucci, João Souza, Marcelo Melo e Bruno Soares, que vai ter Borna Coric como número 1, seguido de Ivan Dodig, Franko Skugor e Delic, que chegou a disputar  jogos contra a Sérvia do Circuito Mundial.O confronto entre Brasil e Croácia na Copa Davia começa na sexta-feira, no Costão do Santinho, Florianópolis.