Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Djokovic cai em Madrid

09 de Maio, 2013

Novak Djokovic foi eliminado do torneio espanhol pelo 28º jogador do mundo

Fotografia: AFP

O sérvio Novak Djokovic, número um mundial, foi terça-feira eliminado do Masters de ténis de Madrid, ao perder o encontro de estreia no torneio com o búlgaro Gregor Dimitrov por três "sets". Dimitrov, 28.º jogador do Mundo, venceu o jogo com os parciais de 7-6 (8-6), 6-7 (8-10) e 6-3, num embate que durou 3:05 horas,  tendo-se encontrado  o vencedor da prova nos oitavos de final  entre o colombiano Santiago Giraldo e o suíço Stanislas Wawrinka, recente vencedor do Portugal Open.

Entretanto, o suíço Roger Federer,  venceu o checo Radek Stepanek, com um duplo 6-3, qualificando-se para a terceira ronda da prova, que venceu em 2012. O número dois da hierarquia mundial voltou à competição depois de uma lesão sofrida no torneio de Indian Wells, no início de março, ultrapassando Stepanek (48.º), naquele que foi também o primeiro jogo de Federer em terra batida neste ano.

ROGER FEDERER
O tenista suíço Roger Federer, disse terça-feira que gostaria de continuar em competição até aos 35 anos e igualar os 77 títulos do norte-americano Jonh McEnroe. Federer, que completa 32 anos no próximo mês de Agosto e está cada vez mais preocupado com a sua forma física, escolhendo os torneios que joga. Esta planificação do calendário favorece, segundo o tenista, uma carreira mais longa.

“Radek (Stepanek) fez esta planificação um pouco mais tarde”, disse o suíço, ao referir-se ao checo, de 34 anos, que derrotou em dois “sets” por duplo 6-3, no Open de Madrid. Para o tenista suíço, a longevidade do sucesso só pode ser alcançada com uma boa planificação do calendário.

“No meu caso fiz essa planificação antes e creio que isso me irá ajudar a jogar um período de tempo mais largo. Sempre foi o meu objetivo jogar pelo menos até aos 35 anos”, frisou Federer. O suíço já leva no seu currículo 76 títulos, menos um do que McEnroe, e, caso vença o ATP de Madrid, que decorre até domingo, iguala o norte-americano em títulos.

“Gostaria de estar empatado com o McEnroe em títulos (77), não haja dúvida. Ele (McEnroe) foi um jogador incrível e fez muito por este desporto, inclusive continua a jogar em torneios de veteranos e a fazer as delícias dos adeptos do ténis”, assinalou o suíço.
Em relação ao jogo com Stepanek, Federer considerou que no geral o seu jogo “não foi mau”, classificando o checo como «um jogador difícil, que sabe ir à rede e utilizar o court».

Para o antigo número 1 mundial, o mais importante no momento é continuar a jogar e evitar as lesões. “Quero jogar bem, não ter lesões e agarrar todas as oportunidades para ganhar títulos”, conclui Federer.