Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Djokovic destruidor de ilusões

01 de Abril, 2016

Novak Djokovic domina todos os que passam pela sua frente e por isso é mais temido do que amado

Fotografia: AFP

A vida de Novak Djokovic no circuito mundial de tênis não é nada fácil. Ele é o tenista número 1 do mundo, campeão de 11 Grand Slams, atropela ídolos de uma geração. O sérvio é um destruidor de ilusões, como os fãs do jogador do backhand de uma mão sabem muito bem. Ele domina todos que passam pela frente e, por isso, é mais temido do que amado.

Djokovic nunca ganhou o coração dos adeptos. Essa situação começou depois que Nole virou uma péssima notícia na vida de Rafael Nadal e Roger Federer. Quando perdia, todos amavam as suas imitações. Agora, ninguém dá mais atenção. O dilema do amor e ódio no tênis mudou drasticamente conforme o sérvio domina os mais queridos tenistas dos fãs.

A facilidade de Djokovic controlar os break points contra, de quebrar o saque adversário e como conduz os pontos são detalhes que incomodam quem busca longas trocas de bola entre os jogadores. Basicamente, Novak melhorou os principais lances de Nadal para vencer Federer e conseguiu fazer do seu saque uma arma para incomodar o espanhol. Aliás, o serviço do número 1 do mundo deveria ser melhor estudado.

O movimento para colocar à bola em jogo, a forma como os cotovelos se deslocam transformaram o acto de servir em uma arte no ténis. ‘Eu não posso sacar como John Isner ou Milos Raonic. Eu não tenho muita força. Porém, eu posso apostar na precisão. Miro em alguns pontos, movimento o corpo ou abro mais as pernas. Tudo o que for necessário para melhorar. Isso facilita o segundo ou terceiro golpe que aplico durante a troca de bolas. Eu trabalhei bastante nesse saque’, afirma Djokovic.

A melhora no serviço é algo bastante profundo e uma prova do trabalho do treinador Boris Becker. A relação de Djokovic com o alemão é excelente e começou no final de 2013. A adição da super agressividade do ex-jogador nas táticas do sérvio mudaram visivelmente a forma de atuar do número 1 do mundo. Na hora de sacar é sensacional, na hora de chegar na rede surpreende ainda mais.