Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Djokovic lidera lista

07 de Abril, 2015

Djokovic conquistou o seu quinto torneio em Miami e continua sem oposição a liderar o ranking mundial ATP

Fotografia: AFP

O tenista sérvio continua a liderar a lista ATP, ontem divulgada. No topo da classificação publicada, a elite do top-10 sofreu algumas mexidas, embora a liderança continue a pertencer ao sérvio Novak Djokovic, que acaba de conquistar pela quinta vez o torneio Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos. Djokovic mantém a vantagem confortável de 4.310 pontos sobre o suíço Roger Federer, enquanto o britânico Andy Murray, finalista em Miami, ‘saltou’ para o terceiro posto, que era até agora ocupado por Rafael Nadal.

O antigo líder da hierarquia, eliminado na terceira ronda em Miami, “escorregou” para o quinto lugar do ‘ranking’ e também foi ultrapassado por uma das maiores figuras do circuito nos últimos tempos, o japonês Kei Nishikori, que em Miami alcançou os quartos-de-final. O tenista português João Sousa desceu quatro lugares no “ranking” mundial e passou a ocupar a 57ª posição na lista do circuito profissional. Este é o lugar mais baixo do número um português, desde 23 de Setembro de 2013, dia em que surgiu na 77ª posição. Nessa semana, João Sousa conquistou o único troféu do ATP que tem no currículo, em Kuala Lumpur, triunfo que lhe permitiu “saltar” na altura para o 51º posto da hierarquia.

Em femininos, o maior protagonismo da semana pertence a Carla Suarez Navarro, campeã do Portugal Open de 2014. A espanhola, finalista em Miami, surgiu ontem no melhor ‘ranking’ da carreira, ao fechar o grupo das 10 melhores do mundo. A norte-americana Serena Williams, que se sagrou campeã em Miami pela oitava vez, mantém a liderança da lista mundial, com 2.091 pontos de vantagem sobre a perseguidora directa, a russa Maria Sharapova.

Michelle Larcher de Beiro, eliminada logo na primeira ronda do ‘qualifying’ de Miami, perdeu depois na segunda eliminatória do torneio ITF (segundo escalão) de Osprey, nos Estados Unidos, caiu cinco lugares na classificação, passa a figurar na posição 129. Carla Suarez Navarro, campeã do último Portugal Open, manifestou orgulho por integrar a partir de hoje o grupo restrito de três tenistas espanholas, que entraram no “top-10” do “ranking” mundial. Apesar de continuar a ter o troféu português como único título da carreira, Navarro subiu ao 10º lugar da classificação do circuito, graças à presença na final do torneio de Miami, nos Estados Unidos, ganho pela oitava vez pela norte-americana Serena Williams, líder da hierarquia.

“É uma boa recompensa a todo o trabalho e sacrifício durante estes anos de carreira. Esta é uma marca que todo o jogador profissional ambiciona e se orgulha. Agora quero permanecer no “top-10” o maior número de semanas possível e, oxalá, possa terminar o ano neste grupo”, desejou Navarro, em declarações à agência EFE. A “promoção” no “ranking” mundial permitiu a Navarro juntar-se a Arantxa Sánchez-Vicario, que chegou a liderar a hierarquia, e Conchita Martínez, que foi segunda na tabela mundial, no grupo das espanholas que chegaram às dez melhores jogadoras do mundo.
“Um feito que só Conchita e Arantxa conseguiram mostra quão difícil é chegar a este lugar. Estou muito feliz por ter conseguido aproximar-me delas, por pouco que tenha sido”, acrescentou a jogadora.

BREVE
Kristoff vence Volta a Flandres

O ciclista, Alexander Kristoff (Katusha), tornou-se domingo o primeiro norueguês a vencer a Volta à Flandres, impôs-se no sprint na 99ª edição da prova belga. Kristoff foi mais forte do que o companheiro de fuga, o holandês Niki Terpstra (Etixx-Quickstep), no termo dos 264 quilómetros da clássica, concluída em 6:26.38 horas, enquanto o belga Greg Van Avermaet (BMC) completou o pódio, a sete segundos, dez antes do eslovaco Peter Sagan (Tinkoff-Saxo). “Estou muito feliz por ter vencido, eu sempre amei a Flandres. A Paris-Roubaix (no próximo domingo)? Vamos ver, estou em forma, com certeza”, disse o vencedor, que na semana passada tinha vencido as três etapas e a classificação final dos Três Dias de La Panne, depois do segundo lugar na Milão-San Remo.