Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Doping leva IAAF a abrir processos

08 de Novembro, 2015

Escândalo de doping no atletismo tem levado a uma série de consequências negativas

Fotografia: AFP

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) anunciou na sexta-feira a abertura de processos disciplinares contra quatro pessoas e uma auditoria independente às suas finanças, bem como o cancelamento da gala da instituição.

Entre os visados pela Comissão de Ética da IAAF estão o filho do senegalês Lamine Diack, o anterior presidente da organização, e um alto responsável pela luta antidopagem.

Além do Gabriel Dollé, que foi responsável pelo combate ao doping até Dezembro de 2014, e Pape Massata Diack, integram o grupo de quatro hoje conhecido Valentin Balakhnichev, tesoureiro da IAAF até Dezembro de 2014 e antigo presidente da federação russa de atletismo, e Alexei Melnikov, antigo treinador nacional de marcha da Rússia.

A situação por que passa a IAAF levou Sebastian Coe, o seu actual presidente, a desconvocar a Gala anual, que estava marcada para 28 de Novembro no Mónaco.

"Face às nuvens sobre a nossa associação, é claro que não é tempo para a família do atletismo se juntar em celebração do nosso desporto", escreveu Sebastian Coe.

Papa Massata Diack, que era consultor da IAAF, é suspeito de várias violações do Código de Ética da IAAF, nomeadamente de organizar o encobrimento do doping de vários atletas russos. Terá agora de responder perante um painel da Comissão de Ética - já marcado para Londres, de 16 a 18 de Dezembro - tal como os outros três elementos a quem foi aberto processo disciplinar.

Balakhnichev, que foi presidente da federação russa de atletismo (ARAF), manteve-se como tesoureiro até ao final do ano, resignando ao cargo quando Papa Massata Diack também saiu.

Dollé também está a ser investigado pela justiça francesa, por suspeitas de corrupção.

Para amanhã é esperada a publicação de um relatório de uma comissão independente da Agência Mundial Antidopagem (WADA) sobre a proliferação do doping no mundo do atletismo.

Entretanto, Federação de Atletismo da Rússia quer colaborar com as autoridades no caso de alegada corrupção envolvendo Lamine Diack e afiança que não pagou subornos ao ex-presidente da federação internacional. A Federação Russa de Atletismo (FAR) negou, esta sexta-feira, as "acusações infundadas" de que terá pago alegados subornos ao ex-presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) Lamine Diack para ocultar testes positivos de doping.

"A federação russa nega qualquer acusação infundada", defende o organismo em comunicado, manifestando toda a sua disponibilidade para colaborar na investigação conduzida pela Agência Mundial Antidopagem e pela comissão de ética da IAAF.

O comunicado sublinha que a FAR "actua sempre em consonância com as normas do direito russo e internacional" e "na defesa dos interesses do atletismo russo e dos seus atletas."