Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dorna quer atrair pilotos mais jovens

09 de Junho, 2017

Queremos um criar uma ligação para que os campeões nacionais tenham a oportunidade de participar no Mundial de Supersport 300 tendo a esperanço que no futuro cresçam neste paddock”.

Fotografia: AFP

Nos últimos anos diversos pilotos refugiam-se no Mundial de Superbikes depois da sua carreira em MotoGP chegar ao fim ao de não conseguirem encontrar colocação numa equipa. Nomes como Alex de Angelis, Marco Melandri, o malogrado Nicky Hayden ou Stefan Bradl são um bom exemplo dessa ideia.

Por isso a entidade promotora do campeonato, a Dorna, pretende inverter essa situação no futuro ao ter como objectivo a chegada de diversos pilotos ao Mundial e não apenas ‘veteranos’. “Gostaríamos de ver um maior intercâmbio de pilotos entre campeonato. Essa é uma ideia que estamos a tentar promover. Vamos trabalhar com as marcas para que isto aconteça, mas é um processo que demora o seu tempo.

Não queremos atrair pilotos que estão no seu final de carreira. Queremos sim pilotos que sejam competitivos e que tragam valor ao campeonato”, referiu Daniel Carrera, director executivo da Dorna. Segundo Carrera o novo Mundial de Supersport 300, categoria destinada aos mais jovens e que arrancou em 2017, desempenhará um papel importante nessa ideia.

“Temos um novo projecto e que estamos a tentar fazer é gerar ligações entre os campeonatos e as federações de motociclismo mais importantes. Na Austrália esta categoria já existe, enquanto no MotoAmérica estão a pensar na sua introdução em 2018 o mesmo acontecendo no Campeonato Britânico de Superbikes. Queremos um criar uma ligação para que os campeões nacionais tenham a oportunidade de participar no Mundial de Supersport 300 tendo a esperanço que no futuro cresçam neste paddock”.