Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ducati anuncia sada de Casey Stoner

15 de Novembro, 2018

O australiano optou por no continuar na Ducati marca com a qual conquistou o seu primeiro ttulo em 2007

Fotografia: DR

Como foi anteriormente relatado, o piloto australiano de 33 anos optou por não continuar sua associação com a Ducati, a marca com a qual conquistou o seu primeiro título na MotoGP em 2007. Ele se juntou à marca de Bolonha em 2016 como piloto de testes e embaixador da marca, depois de terminar seu relacionamento com a Honda.
No entanto, ele não pilotou a GP18 deste ano, desde o teste de pré-temporada de Janeiro em Sepang, já que está a recuperar de uma operação no ombro direito. O acordo de Stoner com a Ducati durou três anos e na terça-feira foi confirmado que não será renovado.
\"Quero agradecer à Ducati pelas óptimas lembranças e, especialmente, pelo apoio e entusiasmo dos fãs da equipa, pela nossa paixão compartilhada pelo motociclismo, eu sempre me lembrarei disso\", disse Stoner.
Mais adiante acrescentou: “ao longo dos últimos três anos, gostei muito de fazer o meu trabalho com a equipa de testes, os engenheiros e técnicos, enquanto trabalhávamos para melhorar o pacote e sinceramente quero desejar à equipa tudo de bom para os seus futuros empreendimentos.”
O CEO da Ducati, Claudio Domenicali, acrescentou: “Casey sempre permanecerá nos corações de Ducatisti e também é por eles, que queremos agradecer pela importante colaboração que nos ofereceu nos últimos três anos. As suas indicações técnicas e sugestões, juntamente com o trabalho e o feedback dos pilotos de fábrica e de Michele Pirro, ajudaram a tornar o Desmosedici GP numa das motos mais competitivas do grid, e o seu conselho para o desenvolvimento das nossas motos de produção, foi tão precioso e útil.”
“A Ducati e os seus muitos fãs desejam oferecer os seus sinceros agradecimentos e os seus melhores desejos a Casey e à sua família, por um futuro sereno e feliz.”

Suzuki dispensa
Iannone por motivos
de “negócios”

Por sua vez, Chefe da Suzuki na MotoGP, Davide Brivio esclareceu que Andrea Iannone foi dispensado para 2019 por motivos de “negócios”, após o italiano falar sobre o caso.
Depois de terminar em segundo em Phillip Island, Iannone enfatizou a sua contribuição pessoal, para a evolução da Suzuki na temporada de 2018. Com base nisso, o piloto disse que “nunca irá entender” por que a Suzuki optou por substituí-lo pelo novato Joan Mir para 2019.
Iannone, que irá para a Aprilia na próxima temporada, sofreu uma queda na corrida seguinte, em Sepang, quando disse que teve uma “reacção instintiva” à escorregadela de Marc Márquez à sua frente. Alex Rins, enquanto isso, igualou o segundo lugar de Iannone, o que deu ao espanhol uma vantagem de 16 pontos na tabela.
Questionado sobre as falas de Iannone, Brivio disse que a Suzuki explicou a sua decisão claramente ao piloto. “Quando decidimos romper, falamos com Andrea e explicamos as nossas razões”, disse, em entrevista ao Motorsport.com. “É uma estratégia de negócios. Quando se trata de escolher pilotos, a Suzuki olha além dos resultados. Outros parâmetros são importantes, como, por exemplo, os pré-requisitos de imagem. Explicamos isso para ele.”
Brivio sente que os comentários de Iannone são frutos de frustração, por deixar a Suzuki, após ter boas performances com a GSX-RR, já que Phillip Island foi o seu quarto pódio no ano.
“Ele estava decepcionado, porque não pôde renovar connosco, e as suas palavras são apenas questão de frustração”, disse. “Estas palavras estão baseadas na desilusão. De agora em diante, cada um poderá escolher a forma, como quer expressar os seus sentimentos.”

REVELAÇÃO
Michael Schumacher continua resistente

Numa das raras manifestações, desde o acidente de esqui de Michael Schumacher, em 2013, na Suíça, a mulher do ex-piloto, Corinna, transmitiu uma mensagem de esperança aos fãs, numa carta enviada ao músico alemão Sascha Herchebach. Ela disse que o marido, “é um lutador e não desistirá”. Apenas familiares e amigos muito próximos conhecem o real estado de saúde do heptacampeão da Fórmula 1. Poucas notícias são divulgadas e a família mantém silêncio.Sascha Herchebach recebeu a carta, depois de ter feito uma música em homenagem a Schumacher chamada “Born to fight”.
(“Nascido para lutar”, em português).
 Sascha Herchebach recebeu a carta, depois de ter feito uma música em homenagem a Schumacher chamada “Born to fight”(“Nascido para lutar”, em português). Em entrevista à revista alemã “Bunte”, o cantor revelou ter recebido a mensagem escrita à mão por Corinna, depois de enviar um CD à família.