Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ducati luta pelo título

14 de Janeiro, 2017

Além da motivação com os bons resultados, a Ducati também vai contar com um reforço importante

Fotografia: AFP

Na Ducati, o sonho do título pode estar mais próximo, dez anos depois.  O director -executivo da equipa, Cláudio Domenicali assegura que a casa de Bolonha "tem todas as cartas na mão" para conquistar o título de 2017, da MotoGP. A Desmosedici encerrou o longo jejum de vitórias no ano passado, subiu ao topo do pódio, duas vezes: primeiro, com Andrea Iannone, e depois, com Andrea Dovizioso.

Além da motivação com os bons resultados, a Ducati também vai contar com um reforço importante. Jorge Lorenzo deixou à Yamaha para conduzir a GP17,  forma o par com Dovizioso.

Com a chegada do tricampeão da MotoGP, Domenicali acredita que a Ducati recupera o rótulo de campeão, facto que só Casey Stoner fez em 2007.
Questionado durante um evento promocional da marca sobre os objectivos da Ducati para 2017, Domenicali não deixou dúvidas: “conquistar o título”.

“Agora, temos todas as cartas na mão, para fazer isso. Não tenho dúvida, de que o nosso potencial em termos técnico, financeiro e de recursos humanos vai permitir-nos lutar por resultados de topo”, afirmou.

Cláudio Domenicali realça, que "além de Giorgio (Lorenzo), têm muitos outros pilotos fortes no campeonato, inclusive o campeão reinante, Marc Márquez, que começa como favorito ao título”.

Afirmou que "o mundo do desporto é feito de grandes recompensas, e às vezes, de grandes decepções. Com certeza, vai ser um ano divertido”.
Na visão de Domenicali, a evolução mostrada pela Ducati depois de anos difíceis foi vital para  ‘roubar’ Lorenzo da Yamaha.

“Quando lhe ligamos, tínhamos amadurecido o bastante para agarrar um piloto como Giorgio; tem habilidades de pilotagem incontestáveis, mas tem de adaptar-se um pouco à nossa moto”, considerou.

Cláudio Domenicali assegurou que têm "uma óptima equipa em Bolonha, pronta a atender às exigências" do novo piloto. Estão certos de que vão estar prontos para a corrida no Qatar, no início da época.

“A ideia é competir e vencer. Tivemos momentos muito difíceis em 2011 e 2012, onde sofremos muito, mas aí começamos uma grande recuperação. Nunca nos rendemos”, disse.

Em declarações ao site oficial da MotoGP, Paolo Ciabatti, director -desportivo da Ducati mostrou-se confiante na força da parceria entre Lorenzo e Andrea Dovizioso, mas reconheceu que o número 99 vai ter de adaptar-se às características da Desmosedici, depois de muitos anos montado na YZR-M1.

“Temos uma equipa forte, no próximo ano. Obviamente, Jorge pilotou a mesma moto em toda a sua carreira na MotoGP. Então, vai ter de entender e adaptar-se à uma moto que tem uma característica diferente”, disse Ciabatti.

Mesmo assim, Ciabatti mostrou que não espera grandes dificuldades, já que o novo protótipo da Ducati foi projectado dado o estilo de pilotagem do novo piloto. O próprio Jorge já afirmou que a nova moto não vai exigir mudança à sua maneira de conduzir.

“Conhecemos muito bem o  estilo de pilotagem e a moto de 2017 foi desenvolvida a considerar também o seu estilo. Estou bem confiante de que podemos ser bem sucedidos com Jorge”, afirmou.