Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ecclestone admite abandonar

20 de Setembro, 2016

Bernie Ecclestone continua ligado à modalidade

Fotografia: AFP


Bernie Ecclestone afirmou no domingo, que pode abandonar a Fórmula 1 devido a problemas com a Liberty Media, empresa do magnata norte-americano John Malone, que comprou recentemente os direitos do Campeonato do Mundo.Em declarações à Sky Sports, o empresário britânico de 85 anos, mostrou-se desagradado com algumas das decisões de Malone, sobretudo, por ter nomeado Chase Carey como presidente, um norte-americano que liderava a produtora de filmes 21st Century Fox.

“Graças a Deus não preciso do dinheiro, não preciso de um emprego, e se eu achar que as decisões que estão a ser tomadas não são as correctas, desapareço de certeza”, afirmou Ecclestone.Recentemente, o multimilionário norte-americano John Malone anunciou a aquisição dos direitos do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, por oito mil milhões de dólares (cerca de sete mil milhões de euros).Em comunicado distribuído pela Liberty Media, empresa do magnata norte-americano, foi esclarecido que Bernie Ecclestone até agora o ‘patrão’ da Fórmula 1,  mantém-se vinculado à modalidade ‘rainha’ do desporto automóvel, como director -executivo. O Grande Prémio de Singapura foi o primeiro sob gerência norte-americana.

BEATA

O GP de Singapura foi mais um, que não correu de feição à Ferrari, mas há um pormenor que escapou a alguns seguidores da F1, que demonstra que a equipa italiana começou com o 'pé esquerdo' bem cedo, na 15.ª ronda do Mundial. O pormenor nada teve a ver com  a competição ou logística, deveu-se a um vício de  Maurizio Arrivabene, director desportivo da Ferrari, que não consegue largar o tabaco.

Depois de fumar um cigarro, o antigo vice -presidente da Philip Morris, multinacional norte-americana atirou a beata para o chão, o que representa uma grave infracção naquele país.O acto do principal responsável pela equipa da marca italiana, foi testemunhado por agentes da autoridade, que o detiveram durante seis horas - teve ainda de pagar uma multa de 1000 dólares de Singapura, 657 euros.