Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ecclestone dá permissão a Caterham

26 de Outubro, 2014

Dirigente da F-1 concedeu permissão para Caterham não disputar os próximos dois GP

Fotografia: AFP

O principal dirigente da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, concedeu uma permissão especial para  a Caterham não disputar os próximos dois Grandes Prémios de F1, nos Estados Unidos e no Brasil, enquanto continua à procura de um novo comprador. O gesto significa que a equipa não vai perder a licença para correr na F-1.

A situação financeira da equipa malaia-britânica é péssima e piorou depois do grupo suíço Engavest AS, que adquiriu a Caterham em Julho deste ano, vir a público dizer que o empresário Tony Fernandes não transferiu as suas acções correctamente para a empresa. Em consequência, Tony Fernandes é o proprietário da equipa.

Nesta semana, a pior equipa da grelha da F-1 é gerida por uma administração independente (Smith & Williamson) "com o máximo interesse em permitir que a equipa continue a operar e a preparar-se para os próximos eventos". A companhia tem a missão de encontrar um comprador para a equipa.

Quem a adquirir vai ter direito à "licença da Fórmula 1, os carros de corrida, os projectos e propriedade intelectual para as épocas actuais e futuras, mais a força de trabalho e todo o apoio técnico para a equipa de corrida e o Centro Técnico de Leafield", explicou Henry Shinners, da nova administração.

Henry Shinners disse que "a aquisição das acções daria ao comprador acesso imediato a correr na F-1".
Além disso, na última quinta-feira, a fábrica da Caterham em Leafield (Inglaterra) foi fechada pelos seus donos por causa da falta de pagamento aos funcionários.

PIOR EQUIPA
DA HISTÓRIA

Atolada em dívidas, a equipa Caterham viu os seus funcionários cruzarem os braços e fecharem as portas da fábrica. A posição coloca em risco a participação da equipa nas três corridas que restam da época 2014 da Fórmula Um. Se alterar a situação, a equipa pode igualar no GP dos EUA o feito nada animador da pior equipa da história da F-1, no próximo dia 2 de Novembro.

A Caterham participou de 55 corridas e nunca pontuou. Nos mais de 60 anos da história da categoria, só uma equipa alinhou mais vezes os seus carros sem nunca ter pontuado, a espanhola HRT, já desactivada e que participou de 56 grandes prémios.

A Caterham tem o mesmo número de corridas que a Marussia. Esta última tem dois pontos no currículo. A equipa ainda tem a vantagem de disputar a F-1 numa época mais generosa em pontuação. Agora, os dez primeiros são bonificados (na maior parte da história eram apenas seis).

Em 2014, os carros da Caterham não completaram um grande prémio em 12 oportunidades, com um enorme leque de problemas mecânicos, como motores fundidos, travões e vazamento de óleo.