Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ecclestone descarta regresso de Mosley

23 de Outubro, 2015

Bernie clama por maior controle na F1

Fotografia: AFP

Bernie Ecclestone afirmou que Jean Todt está percebendo, ainda que lentamente, que precisa impor um controle maior sobre o Mundial de F1. E ele deixou claro que Max Mosley não pretende voltar ao comando da FIA e da categoria.

A presença ao lado de Max Mosley numa entrevista para uma TV alemã não foi nada mais do que uma entrevista. Mosley não pretende voltar ao comando da FIA, e Bernie Ecclestone entende que Jean Todt está percebendo do que a F1 precisa neste momento: um dirigente mais enérgico.

 À RTL, Mosley, antecessor de Todt na presidência da FIA, alertou que a F1 actual está presa demais às montadoras, especialmente à Ferrari e à Mercedes, e que uma fabricante independente precisa entrar no Mundial.

 Ecclestone concordou, e indicou que gostaria de ‘rasgar o regulamento’ para fazer os V8 voltarem ao Mundial já em 2016.

 E, conforme Ecclestone tem dito recentemente, o problema de Todt é o desejo de deixar todos contentes. No momento, a categoria convive com a ameaça da Red Bull de sair da grelha e levar consigo as duas equipas que mantém. Eu acho que o Jean está lentamente, mas com certeza, percebendo que nós temos que mostrar os dentes e agir. Se houver um pouco de dor, é assim que é”, declarou o britânico de 84 anos ao jornal ‘The Telegraph’.

 Ecclestone também descartou que Mosley vá voltar como um consultor na concepção do novo regulamento da F1 para a temporada 2017. “Não, não, não. Ele não tem mais nada a ver com a F1. Só estava lá porque a TV queria fazer uma entrevista. Não era para ser divertido, era para ser sério, mas deixa pra lá”, acrescentou.