Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ecclestone investigado

31 de Outubro, 2013

Patrão da F1 a ser investigado pelo Ministério Público de Genebra por actos de alegada corrupção

Fotografia: AFP


O Ministério Público de Genebra, está a investigar um caso de alegada corrupção que envolve o “patrão” da Fórmula 1, o britânico Bernie Ecclestone, que foi formalmente acusado na Alemanha no âmbito do processo. “O Ministério Público de Genebra abriu uma investigação na sequência da queixa apresentada pela sociedade Constantin Medien”, indicou na passada terça-feira à AFP o porta-voz Henri Della Casa, em referência ao negócio ocorrido em 2006.

Della Casa recusou nomear directamente Ecclestone como uma das pessoas que estão a ser investigadas, mas confirmou a veracidade das notícias difundidas por vários órgãos da comunicação social, segundo as quais o “patrão” da F1 é um dos alvos do inquérito. Em Julho, o Ministério Público de Munique acusou formalmente Ecclestone, de 83 anos, de ter subornado um antigo responsável do banco BayernLB, no valor de 44 milhões de dólares (32 milhões de euros), no âmbito da venda de participações do banco alemão no negócio da F1.
 
Ross Brawn deixa
Mercedes

Ross Brawn, director da Mercedes, vai deixar a escuderia no final da temporada, o cargo que ocupava deve ficar dividido entre Toto Wolff (parte executiva)  e Paddy Lowe (parte técnica), sob supervisão do presidente não executivo Niki Lauda.O engenheiro inglês, de 58 anos, que esteve nos sete títulos de Michael Schumacher (dois na Benetton e cinco na Ferrari) e no de Jenson Button (Brawn GP), não chegou a um acordo quanto às funções que ficava a exercer na escuderia, após a reestruturação implementada. O futuro de Brawn pode passar pelo ingresso na Honda, que regressa em 2015 à F1, reeditada a parceria com a McLaren, ou a entrada na FIA, de acordo com notícias na comunicação social britânica.