Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ecclestone regressa ao conselho

20 de Dezembro, 2014

Patrão comercial da F-1 está de regresso à cadeira máxima da Fórmula One Group entidade que controla a principal categoria automóvel depois de evitar condenação

Fotografia: AFP

Quatro meses depois de escapar de uma condenação na justiça alemã, Bernie Ecclestone retomou o seu posto no conselho administrativo da Fórmula 1, na última quinta-feira, e foi mantido no cargo de CEO da Fórmula One Group, que controla a principal categoria do automobilismo mundial.

Bernie Ecclestone foi afastado do conselho, porque estava a defender-se de acusação de suborno na Alemanha. O chefão da F1 era suspeito de pagar suborno no valor de 44 milhões de dólares (aproximadamente 4,4 mil milhões de kwanzas) ao banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky, do banco alemão BayernLB, durante o processo de venda dos direitos comercias da F1 ao grupo de investimentos CVC há oito anos.

Ecclestone admitiu o pagamento, mas alegou que só desembolsou a quantia depois de ter sido chantageado pelo banqueiro.

Gribkowsky pode ter ameaçado denunciar irregularidades fiscais, supostamente cometidas pelo dirigente de 84 anos, na Inglaterra. O banqueiro foi condenado à prisão em 2012, com pena de oito anos de reclusão. Por causa das acusações, o chefão da F1 corria o risco de ser condenado até dez anos de prisão. Contudo, escapou à punição ao propor acordo com a Justiça alemã. O acerto com o tribunal, que encerrou o caso, custou 100 milhões de dólares (cerca de 10 mil milhões de kwanzas) a Ecclestone. A Justiça alemã permite este tipo de acordo oficialmente.

Livre da Justiça em Agosto, Bernie Ecclestone retomou o seu posto no conselho da F1, de acordo com a CVC Capital Partners, fundo de investimento que é sócia maioritária da Fórmula One Group. A CVC confirmou ainda a inclusão de outros dois nomes no conselho, com o cargo de director sem função executiva: o italiano Luca di Montezemolo e o inglês Paul Walsh.

Di Montezemolo foi presidente da Ferrari de 1991 até Setembro deste ano e já actuou no conselho como representante da equipa italiana. Walsh foi director executivo da Diageo, empresa de bebidas entre 2000 e 2013. Actualmente é presidente do Compass Group e director não executivo da FedEx e da Unilever.