Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Egipto pode desistir do CAN

Silva Cacuti - 28 de Outubro, 2016

A ausência do Egipto obriga a uma ligeira reestruturação do calendário desportivo da competição

Fotografia: AFP

A selecção sénior feminina de andebol o Egipto anunciou a sua desistência do XII Campeonato Africano que Luanda acolhe de 28 de Novembro a sete de Dezembro, disse Pedro Godinho, vice presidente da confederação Africana de Andebol (Cahb). Segundo o responsável a federação egípcia alega dificuldades financeiras como estando na base deste anúncio.

O Egipto não esteve na edição da prova disputada na Argélia em 2014. Jogou as edições de 2010, em casa em que acabou na sexta posição e na edição de 2012, em Marrocos onde foi 9ª classificada.

Pedro Godinho disse que o Egipto ainda tenta uma renegociação com a Cahb a ver se pode reconsiderar a sua posição. "As penalizações da Cahb nestes casos são pesadas quer financeiras quer desportivas", sublinhou.

"Sei que houve duas reuniões entre o presidente do Egipto e o da Cahb não tomei parte desta reunião e aguardo a qualquer momento pelo desfecho destas reuniões. O prazo que nós demos como país organizador para fecharmos o calendário da prova é o dia 31 do corrente, então achamos que no dia 1 estaremos em condições de divulgar o calendário da prova", concluiu.

A ausência do Egipto obriga a uma ligeira reestruturação do calendário desportivo da competição. Não vai afectar o cronograma desportivo porque cada um dos grupos tem cinco equipas e está previsto uma equipa de folga em cada jornada.

Está prevista a participação no campeonato africano 10 selecções que disputarão a primeira fase em dois grupos, A e B. Os grupos apuram as quatro primeiras equipas para os quartos-de- final.  Angola e a Costa do Marfim abrem a competição, em partida referente à primeira jornada do grupo A. A RDC, os Camarões e o Senegal são outros integrantes do grupo.

No outro grupo, B, estão as selecções Tunísia, Egipto, Argélia, República do Congo e Guiné Conacry.

Angola realiza a competição com objectivo de recuperar o título continental perdido para a Tunísia na edição de 2014, disputada na Argélia.

GODINHO APELA
AO VOLUNTARIADO

O presidente da Federação Angolana de Andebol aguarda com expectativa o desfecho do processo eleitoral na associação de Luanda, para a qual concorrem Adérito Cavala, pela lista A e Simão Filho pela B. Pedro Godinho aconselhou a ambos que assegurem em suas listas a presença de pessoas que sejam voluntárias para evitar que se desintegrem os elencos.

"Fiquei feliz por ter sido procurado pelos dois  candidatos e de uma maneira aberta tanto para um como para o outro expliquei onde é que entendo estarem alguns défices da organização interna do andebol em Luanda. O conselho que dei a eles é no sentido de assegurarem a presença em suas listas  de pessoas que sejam verdadeiramente voluntários. Aconselhei também que seus programas deviam focar-se na reorganização da Apal", disse.

Simão Filho procedeu no princípio da noite de quarta-feira à apresentação do seu programa de candidatura em conferência de imprensa realizada na Galeria dos Desportos.

Do programa que apresentou ressalta a intenção de "recuperar a mística do andebol luandense". O candidato justificou com o facto de Luanda ser a cidade de onde têm saído as equipas que representam o país nas competições africanas.

Simão Filho promete também melhorar os níveis das competições provinciais e a relação entre Apal e associados. Adérito Cavala também já apresentou o seu programa.