Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Empresa Exergia apoia Comisso Instaladora

Silvia Cacuti - 07 de Outubro, 2010

No acto em que esteve foram protagonistas Domingos Pascoal, da Comisso de Esgrima, e Madaleno, director da Exergia Angola.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Comissão Instaladora da esgrima em Angola deu na última semana um passo importante rumo ao cumprimento dos seus objectivos ao firmar um acordo de parceria com a empresa do ramo da construção civil Exergia, que passa a apoiar as acções da referida comissão. No acto em que esteve foram protagonistas Domingos Pascoal, da Comissão de Esgrima, e Madaleno, director da Exergia Angola. A empresa ofereceu trinta pares de equipamento completo para a prática da modalidade.

O protocolo é válido para quatro anos e além do lote de material composto por máscaras, armas (espadas, floretes e sabres), gilés, meias, luvas e fios de corpo, a empresa vai também disponibilizar valores monetários cujo montante não foi revelado. Domingos Pascoal acredita que com o material recebido a comissão pode começar a expansão para outros pontos do país.

A esgrima é um desporto que evoluiu da antiga forma de combate, em que o objectivo é tocar o adversário com uma lâmina ao mesmo tempo que se evita ser tocado por ele. Existem três disciplinas de esgrima: o florete, a espada e o sabre, diferindo não só no formato da lâmina mas também nas zonas do corpo onde um toque é válido e também como as armas funcionam. Em Luanda, assegurou Domingos Pascoal, há já dois núcleos, no Gamek, onde em breve vai ser criada uma sala de armas, e na escola 3030, Ex-Puniv Central, onde o interessado em praticar esgrima pode encontrar acolhimento.

“Devido ao facto de utilizar-se uma arma, é necessário que quem queira praticar o faça em local e com meios apropriados, por isso é que vamos criar salas em Luanda”, exortou. A Comissão Instaladora está já reconhecida pela Direcção Provincial dos Desportos de Luanda e busca o reconhecimento noutras instâncias. Constituída em 2008, a comissão controla um universo de cerca de 40 praticantes e espera triplicar o número em breve. A formação de mestres treinadores e monitores é uma das grandes prioridades da comissão. O responsável da comissão garantiu que antes do final do ano será realizada uma acção formativa dirigida a técnicos mestres e monitores.

Kwanza-Sul é o próximo passo
A Comissão Instaladora da esgrima já pensa em expandir-se para outros pontos do país. O lote de material recebido da empresa Exergia é, segundo Domingos Pascoal, o passo fundamental para a expansão das actividades da comissão. “Tudo dependia deste passo que acabamos de dar. Existe uma forte corrente da esgrima no Kwanza-Sul e deve ser uma das províncias onde proximamente vamos começar a fazer contactos. Mas o Huambo e a Huíla são outros pontos em que com maior ou menor dificuldade promoveremos a modalidade”, disse.

A esgrima, realçou, pode ser praticada na modalidade olímpica e paralímpica. “Temos contactos avançados com o Comité Paralímpico para a criação de um núcleo de esgrima paralímpica”, adiantou.Nas suas actividades a comissão conta com apoio institucional do Ministério da Juventude e Desportos.