Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipa Belogorie vence o mundial

12 de Maio, 2014

O Cruzeiro exagerou nos erros e não conseguiu actuar diante da força dos adversários.

Fotografia: AFP

A equipa russa Belogorie Belgorod conquistou o mundial de clubes ao vencer na final o Al-Rayyan, de Qatar, por 3 sets a 1, com parciais de 16/25, 25/21, 25/21, 25/15. A sensação do Mundial de Clubes de voleibol não suportou a superioridade da escola russa na grande final disputada em Belo Horizonte, Brasil.

O Al-Rayyan começou bem o jogo. Animados com a possibilidade de um título mundial, o clube do Qatar buscou o resultado, aproveitou uma sonolência inicial dos russos e venceram. Mais uma vez embalados pelo cubano Simon, o Al-Rayyan buscou o resultado desde o início e conseguiu um bom primeiro set. Com uma série de saques bem feitos a equipa do Qatar confundiu a defesa russa.

O segundo set, porém, foi de destaque do Belogorie. Os russos voltaram mais concentrados e conseguiram mostrar a sua técnica. Liderados pelo gigante Musersky, de 2,15m, o set foi de domínio russo. Os sets seguintes foram também de superioridade técnica russa.


Embora o destaque tenha sido do Belogorie, o Al-Rayyan fez um bom jogo, mas o diferencial técnico russo foi visível em todos os fundamentos.
No fim do duelo, os destaques de cada equipa ficaram claros. O cubano Simon, para o lado do Al-Rayyan, foi o que mais pontos fez, com 17 bolas no chão. No Belogorie Musersky, Grozer marcou 18.

TERCEIRO LUGAR
Os argentinos do UPCN conquistaram o terceiro lugar da prova mundial de clubes ao baterem a equipa brasileira Sada Cruzeiro com parciais de 17/25, 29/31, 25/23, 25/16 e 13/15. A partida foi bastante equilibrada. Os dois primeiros sets foram marcados por superioridade argentina. O restante teve mais igualdade, com os brasileiros a correr atrás do resultado, mas no fim o UPCN foi melhor e levou a vitória. O primeiro set teve amplo domínio do UPCN. O Cruzeiro exagerou nos erros e não conseguiu actuar diante da força dos adversários.