Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipa DVRS Team supera rivais

23 de Agosto, 2016

Pescadores desportivos com intensa actividade no torneio que contou para o campeonato nacional

Fotografia: Dombele Bernardo

A equipa da DVRS Fishing Team de Luanda, com 199,5 pontos, sagrou-sevencedora do quarto  torneio de pesca de lançamento por costa, realizado nos dias 20 e 21 na localidade de Chicucula, município do Sumbe, província do Cuanza Sul, referente ao Campeonato nacional de pesca desportiva.

A tabela classificativa posicionou em segundo lugar a equipa de “Pesca na Areia”, com 115,5 pontos, seguindo as equipas, Tritões que alcançou 41,16 pontos, P.M Mother Foca com 37,60 pontos e o quinto classificado  foi a equipa Insolentes que pontuou 17,80, estas últimas de Luanda.

O torneio realiza-se todos os anos  entre os meses de Junho e Setembro, nesta quarta e penúltima prova juntou as equipas de Luanda, Cuanza Sul e Benguela, num total de 18 equipas, sendo uma da província anfitriã, três da província de Benguela e 12 de Luanda.

A equipa vencedora protagonizou o feito de pescar um peixe “pungo” com 39,9 quilogramas. O capitão da equipa vencedora, Paulo Correia, considerou a proeza um tributo aos esforços da equipa durante o torneio, mas lembrou que “tudo deveu-se à persistência, devido os condicionalismos da lua”.

O presidente da Federação da pesca desportiva, Fernando Santos, fez uma avaliação positiva da prova, desde o aspecto organizativo, assim como o asseguramento do local pelas forças da ordem e do corpo de protecção civil e bombeiros.

“Tivemos uma prova excelente, a contar com a organização, praias limpas, e o asseguramento das equipas por parte das Forças da ordem e dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros”, reconheceu.

Fernando Santos anunciou que a Federação conta actualmente com 550 atletas federados, mas considerou a necessidade de se promover a modalidade, principalmente de pesca por costa, para propiciar mais adesão de todos quantos praticam a pesca de lazer.

“Temos no país, sobretudo nas províncias costeiras, muita gente que se dedica à pesca de lazer, que podem ingressar nas diferentes equipas”, disse e salientou que a Federação está a estudar mecanismos para que  a prova se estenda aos rios e lagoas.

“Estamos a estudar formas de alargar as provas de pesca desportiva aos rios e lagoas, e com isso, teremos mais atletas, a contar com os do interior do país”, frisou.A prova contou com a participação de um total de 100 pessoas, entre pescadores federados e seus familiares, que  para além dos aspectos desportivos, propicioutambém momentos de lazer.

Outra participação de realce foi da equipa “Tocota”, que mesmo a competir em Luanda, representa um dos maiores locais turísticos de águas quentes, situado no município da Conda. O seu capitão, Cláudio Carvalho, considerou que mais do que alcançar pontos para sagrar-se vencedor, o ambiente foi além disso,  juntou outras equipas e viveu-se um ambiente desportivo, imbuídos no espírito de camaradagem, harmonia e afecto.

O presidente da Federação da Pesca desportiva, Fernando Santos, fez saber que um dos constrangimentos que estrangulam o processo de adesão de mais atletas  à modalidade, prende-se com a falta de equipamentos no país. “Muita gente quer aderir à modalidade, mas temos falta de  equipamentos, que os condiciona. Existe no país apenas três lojas que vendem os referidos equipamentos, um número insignificante”, disse.

Segundo Fernando Santos, os desafios da Federação apontam para a realização da quinta prova do ano da modalidade, a realizar-se em Setembro nas Palmeirinhas, em Luanda, bem como criar as condições técnicas, financeiras e humanas, para a participação de Angola no próximo campeonato do Mundo, a realizar-se em Novembro  no México.

As equipas angolanas de pesca desportiva já venceram os campeonatos domundo, realizados em 2008, na África do Sul, no Brasil em 2014, e o último campeonato do mundo realizado em 2015, no Lobito, província de Benguela.