Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipa Haas vaticina pontos

07 de Janeiro, 2016

Gunther Steiner está feliz com estreia na F1

Fotografia: AFP

A Haas parece disposta a provar ao mundo do desporto, que não vai chegar a grelha da F1 para ser apenas figurante ou protagonista das últimas filas da grelha, como fizeram as últimas equipas que ousaram entrar no desporto, em 2010. Em discurso cheio de optimismo e que vai  contra o que tinha dito recentemente, Gunther Steiner disse acreditar que a mais nova equipa do Mundial pode até mesmo pontuar, na abertura da época, marcada para 20 de Março, em Melbourne.

A julgar pelo que ocorreu no Grande Prémio da Austrália, de 2015, nada é impossível para a Haas. A corrida disputada em Albert Park foi marcada por inúmeros abandonos,  alguns dos quais antes mesmo da partida, como as saídas de Valtteri Bottas, Kevin Magnussen e Daniil Kvyat. Na primeira volta, só 11 pilotos estavam na corrida.

O início da época'2015 marcou a melhor estreia de um piloto brasileiro, na F1, quando Felipe Nasr cruzou a linha de chegada em quinto lugar,  em Albert Park.  Na visão de Steiner, chefe de equipa da Haas, o conjunto de Kannapolis vai para a Austrália disposto a chegar ao Q2 e com o sonho de marcar pontos na  estreia, na F1. Um resultado que ia comprovar o trabalho duro realizado, desde quando a equipa chefiada por Gene Haas empreendeu o projecto de entrar no mundo desafiador da F1.

“Gostaríamos de marcar pontos. Na classificação, se alcançarmos o Q2, vamos estar bem. Ter uma oportunidade de somar pontos é o nosso objectivo e fazer boa exibição.”, declarou o dirigente italiano em entrevista à emissora britânica, Sky Sports. “Isso serviria para mostrar que temos trabalhado nos últimos dois anos para essa finalidade e não temos grandes dramas a registar. Este, é o nosso grande objectivo no momento”, assegurou o chefe da equipa que vai ter o franco -suíço Romain Grosjean como líder dentro da pista, além do mexicano Esteban Gutiérrez.

À NOVA ESQUADRA
Grosjean dácredibilidade


O italiano Gunther Steiner, chefe da equipa mais nova da F1, entende que a chegada de um piloto do porte de Romain Grosjean confere credibilidade à Haas. O responsável descartou a contratação de nomes famosos para liderar a equipa norte-americana, do ponto de vista técnico. Romain Grosjean sobressaiu em 2015, na Lotus, graças ao talento. Mesmo com dificuldades, facturou um pódio redentor, no Grande Prémio da Bélgica. Com a indefinição sobre a venda da equipa para a Renault, que foi consumada só no fim do ano, o franco -suíço aceitou uma proposta e finalmente depois de construir a sua carreira em Enstone, mudou de casa e assumiu o desafio de liderar na pista a mais nova equipa da F1, a norte-americana Haas.

Gunther Steiner, italiano com nome alemão, comemorou a chegada do talentoso Grosjean na Haas. Na visão do chefe da nova equipa da F1, a presença do ex-piloto da Renault e da Lotus, confere credibilidade à uma equipa que ainda vai começar a escrever a história no desafiador cenário do desporto.“É mais difícil, atrair pessoas e ser confiável, depois de algumas equipas saírem do negócio no passado”, avaliou o dirigente em entrevista à emissora britânica ‘Sky Sports’.

O seu maior desafio é "convencer as pessoas", mas a contratação de Romain ajudou muito a dar  credibilidade. O responsável ressaltou, que as pessoas tratam Romain Grosjean como um dos melhores pilotos da F1 e a sua presença na equipa, prova que sabe as motivações. "Grosjean está nisso há muito tempo e muita gente boa quis ingressar na equipa, depois disso”, contou.

Entretanto, embora entenda que a chegada de Grosjean dá um pouco mais de credibilidade a uma equipa novata e que tem muita força no cenário norte-americano graças à participação na Nascar, Steiner descartou a chegada de uma contratação de peso, para a área técnica da equipa, como Rob Smedley ou Adrian Newey. “Gente estabelecida vai chegar, mas não grandes nomes. Não vem Adrian Newey, por exemplo”, explicou.

Sobre os planos de desenvolvimento, do primeiro modelo para a F1, o chefe da Haas descreveu um pouco do cronograma até o começo da pré-época.
“Vamos começar a construir o carro, em meados de Janeiro, vamos fazer o crash-test no começo de Janeiro, vamos começar a encaixar tudo. Com sorte, vamos escolher o dia antes do começo dos testes, para conhecer o carro”, declarou Steiner.O responsável revelou que a equipa ainda não decidiu com relação a cor predominante do seu modelo de estreia. A data da apresentação, do novo carro da Haas, está marcada para a véspera de início dos testes de Inverno, em Barcelona, no dia 21 de Fevereiro.