Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipas afinam patins para prova nacional

Silva Cacuti - 04 de Outubro, 2018

Petro de Luanda, Hquei 300, Exrcito e Juventude de Viana.A Acadmica de Luanda a detentora do ttulo

Fotografia: DR

As cidades de Luanda e do Lobito vão ser os palcos, a partir de sábado, do campeonato nacional mais longo dos últimos tempos. A prova conta com a participação de dez equipas, porém, não é  esse facto que o faz ser mais longo, segundo Pedro Azevedo, vice- presidente da Federação Angolana de Patinagem (FAP).
Explicou ,que pelo meio, a prova vai ser interrompida para propiciar a preparação e participação da Selecção Nacional, que de 9 a 11 de Novembro vai disputar o campeonato africano, na cidade de Maputo, Moçambique.
A primeira fase começa a ser disputada no sábado e decorre até 28 do corrente. A segunda fase, começa a ser jogada a 15 de Novembro e termina com a consagração do campeão, após uma final jogada em \"play-off\", a melhor de cinco jogos.
A primeira fase, joga-se num \"todos contra todos\" a uma mão, e apuram-se as quatro primeiras equipas, para a meia-final.
A meia-final vai ser jogada em sistema cruzado, também, em \"play-off\" a melhor de três jogos.
A formação do HC do Lobito é a única não luandina. A organização do campeonato, acrescentou Pedro Azevedo, pretende que ao deslocarem-se ao Lobito, para defrontar a equipa local, o façam em caravanas com mais de uma equipa e além de defrontar a equipa do Lobito, vão realizar  jogos entre si , naquela cidade. Ao vir a Luanda, os lobitangas também realizam o maior número de jogos possíveis. \"Vamos tentar que seja nestes moldes, não só para facilitar a situação financeira dos clubes, também, para permitir que os adeptos do lobito vejam o hóquei exibido por outras equipas\", disse.
Estão inscritas, as equipas do 1º de Agosto, Marinha de Guerra, Instituto Superior Técnico Militar, Estado Maior, Académica de Luanda, Hóquei Clube do Lobito, Petro de Luanda, Hóquei 300, Exército e Juventude de Viana.A Académica de Luanda é a detentora do título.       

Reconhecimento
FAP enaltece as estreias


As estreias, previstas das equipas do Hóquei 300 e do Instituto Superior Técnico Militar, mereceram da parte de Pedro Azevedo, vice-presidente da Federação Angolana de Patinagem (FAP), uma palavra de apreço."São novas equipas na família da patinagem, esperamos que participem, dêem o seu melhor e encorajamos este tipo de iniciativas, por isso, damos oportunidade para que nestes dois primeiros anos, participem, mesmo que tenham apenas equipas de seniores, mas após o segundo ano, têm de ter equipas dos escalões de formação", disse.
O representante da Federação disse esperar, que a aparição destas equipas não repitam episódios de má memória, já registados. "Não queremos que sejam equipas de vir e ir. Esperamos que façam os seus programas de forma sustentada, para que surjam com escalões de formação e não, como foram os casos do Sagrado Coração de Jesus, ASA ou Kabuscorp.O Instituto Superior Técnico Militar desenvolve-se como núcleo do 1º de Agosto, enquanto o Hóquei 300, equipa criada por ex-praticantes e alguns ainda praticantes, há o desafio de fazer o melhor. Segundo Nuno Baio, vice-presidente, a expectativa é de "fazer melhor".
"Estamos no primeiro ano, ainda não temos toda a estrutura que gostaríamos, mas a participação no campeonato provincial deu-nos indicadores dos nossos adversários. Temos um novo técnico, o Carlos Baptista, que tem passagens pelo Hóquei 2000, Académica de Luanda, Bai, entre outros clubes. Também temos umas caras novas que nos dão garantias de uma boa prestação. Temos consciência que temos um trabalho a começar", comentou Nuno Baio.