Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipas com grelha ameaçada

30 de Setembro, 2014

Mesmo com os pontos obtidos em Mónaco a Marússia atravessa problemas financeiros que podem afastar da prova no próximo ano

Fotografia: AFP

Os problemas financeiros podem tirar da grelha de partida do campeonato mundial de Fórmula 1 de 2015, três equipas: Caterham, Marussia e Sauber  que são as que convivem com a falta de dinheiro ao longo de 2014 e a dificuldade de encontrar parceiros levam os especialistas a questionar a eventual continuidade na maior prova automobilística mundial.
A Caterham tenta desmentir rumores da sua saída da F1 alega que já testa o modelo do próximo ano no túnel de vento que pertencia a Toyota, na cidade alemã de Colónia.

“Actualmente, estamos a testar o nosso carro de 2015 em Colónia, no túnel de vento da Toyota. Obviamente, não podemos testar o carro em Colónia só por causa da nossa atitude extremamente agradável! E se estamos a fazer isso (pagamos a Toyota), significa que estamos totalmente comprometidos a estar aqui no próximo ano”, disse o chefe da equipa, Manfredi Raveto ao site oficial da F1.
A Marussia também já foi colocada como uma equipa que pode estar fora da F1, no próximo ano, embora tenha conseguido somar dois pontos no GP de Mónaco. A equipa vai estar presente em 2015, segundo o seu director, Graeme Lowdon.

“De certo que não vai querer passar a impressão errada ao dizer “sim, estamos bem”, porque é sempre um desafio operar negócios neste ambiente. Mas temos uma obrigação de operar correctamente. E se não achar que pode fazer isso, tem de parar. Se não acreditássemos que podíamos estar aqui, não estávamos”, declarou.
A Sauber tenta vender a confiança ao mundo, mas o empresário russo Oleg Sirotkin prevê problemas na equipa comandada por Monisha Kaltenborn.

“Na minha opinião, a oportunidade é de 50 por cento. Tem ocorrido muitos problemas e um deles é a situação instável das equipas. Não há nem mesmo a certeza de que vão estar aqui no início da próxima época. Por exemplo, estamos a trabalhar junto com a Sauber, mas parecem enfrentar problemas”, comentou.

FERRARI E WILLIAMS
A Ferrari continua na luta acirrada com a Williams pela terceira posição no mundial de construtores. Para o espanhol Fernando Alonso, a equipa de Maranello vai superar a  rival de Grove, na Inglaterra.
Em Monza, a equipa de Frank Williams passou a equipa italiana e nem mesmo a boa prova do espanhol em Singapura permitiu a Ferrari retomar a posição.

“Somos a Ferrari, somos muito mais do que uma equipa normal. Apenas temos de continuar a trabalhar duro. Qualquer que seja a performance do carro, vamos lutar até à última volta da última corrida, porque há muitos pontos na mesa”, disse.
A crença de Fernando Alonso é tão alta como o céu. O espanhol assegura que a prova de Abu Dhabi tem pontuação dobrada e há muitas oportunidades para reduzirem a diferença.

“Estou confiante que, no final do campeonato, vamos bater a Williams”, disse.
O bi-campeão mundial assegura que passaram de Spa e Monza, duas pistas difíceis para equipa e sabiam disso. “A Williams conseguiu maximizar aqueles pontos e fez um bom trabalho”, reconheceu.


GP DE JAPÃO
FIA confirma
Max Verstappen


A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou, nessa semana, a superlicença para o jovem Max Verstappen, de somente 16 anos. Assim, o piloto holandês está autorizado para participar da primeira sessão de treinos livres para o GP do Japão que acontece em Suzuka na próxima sexta-feira. Max vai pilotar um dos carros da equipa Toro Rosso, na qual vai ser titular a partir da época de 2015.
“Naturalmente que andar num treino livre é um sonho”, falou Verstappen.

Max Verstappen revelou algumas conversas mantidas com o seu progenitor: “Meu pai (Jos) já correu em Suzuka várias vezes e disse-me que não é uma pista fácil para se estrear. Mas acredito que vai ser uma experiência valiosa para o próximo ano”, comentou o piloto da F3 Europeia.
Para uma excelente estreia, Max Verstappen disse que esteve duas vezes no simulador da Red Bull e pilotou o dia todo, de manhã à noite.
“Na preparação para o treino livre no Japão descobri que há muitas ‘armadilhas’. Mas vai ser muito emocionante estar lá”, encerrou.

No fuso horário angolano, o primeiro treino livre em Suzuka vai acontecer na próxima sexta-feira a partir da 1h00. A corrida, válida pela 15ª etapa da época, está programada para domingo às 7h00 de Angola.