Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipas huilanas falham nacionais

Silva Cacuti - 30 de Março, 2013

Melhores fundistas do país concorrem na estrada nacional do Lubango

Fotografia: Domingos Cadência

A Huíla pode ficar sem representante no campeonato nacional de estrada que se realiza hoje, no Lubango. O evento tem apenas confirmações das equipas do 1º de Agosto, Interclube, Petro de Luanda e Naval de Porto Amboim, na prova masculina, e Interclube e 1º de Agosto, na prova feminina.
O director técnico da Federação Angolana de Atletismo (FAA), Augusto Severiano, disse ao Jornal dos Desportos que a provável ausência de emblemas huilanos talvez esteja relacionada com o facto de a maioria dos atletas seniores que evolui na Huíla representar clubes de Luanda, quando atingem o escalão de seniores.

“Temos notado que nas provas de juniores e de juvenis inscrevem-se algumas equipas da Huíla, mas em seniores, a maioria dos atletas locais representa o Petro de Luanda, 1º de Agosto e Interclube e isso pode ser uma das causas”, disse.
O Benfica do Lubango conquistou em 16 de Março a prova júnior feminina do campeonato nacional de estafetas, no Namibe.

O treinador huilano admitiu que à última hora podem surgir inscrições de equipas locais ou atletas que corram individualmente. “Não inviabilizamos a participação de atletas individuais, porque achamos que é uma prática salutar; por outro lado, aumenta o número de participantes. Até temos permitido a participação de atletas militares e pensamos que, à última hora, isso pode ocorrer”, augurou.
A prova sob a égide da FAA compreende um percurso de 15 quilómetros. O espaço foi inspeccionado e está em condições de albergar a prova nacional.

TÉCNICO PERSPECTIVA
EQUILÍBRIO NA PROVA

O director técnico da FAA, Augusto Severiano, disse que espera um campeonato nacional de estrada muito bem disputado, pois estão inscritos os principais fundistas do país.

Severino Vicente, pelo Petro de Luanda; Alexandre João, Severino Calenga e Miguel Mota, em representação do 1º de Agosto; Francisco Caluvi, Avelino Ndumbo e Tiago Baptista, em representação do Interclube, são alguns dos nomes que vão fazer-se à estrada para disputa do troféu.
“Confio que é uma prova bem disputada, porque nestas provas de fundo, quando temos a confirmação das três principais equipas, 1º de Agosto, Interclube e Petro de Luanda, sabemos que há despique. Temos uma prova de grande envergadura”, disse.

Este ano, Francisco Caluvi superou a concorrência na prova “Fuga para a Resistência”, disputada a 4 de Fevereiro em Caxito, mas o seu clube falhou o campeonato nacional de estafetas e foi a vez de Severino Calenga notabilizar-se pela sua equipa.
Nas provas de 15 quilómetros, Francisco Chamane, do Interclube, não pode ser posto de parte nas contas finais. O “Cambaio”, como é tratado, é especialista nessa distância e vai querer justificar o estatuto. Por isso, está tudo em aberto quanto ao campeão nacional.
Augusto Severiano disse que o percurso não oferece grandes dificuldades. “Apenas no início do percurso temos uma subida de cerca de oito por cento. O resto do percurso não tem grandes níveis de dificuldades”, comentou.


NACIONAL DE ESTRADA

1º de Agosto quer surpreender

Os fundistas do 1º de Agosto esperam dar boa réplica no Campeonato Nacional de atletismo em estrada em ambos os sexos, na distância de 15 quilómetros, que se disputa hoje no Lubango.
O técnico de atletismo do 1º de Agosto, Lázaro João, afirmou que os seus atletas estão motivados para revalidarem o título de campeões nacionais por equipas, depois de vencerem há dias o nacional de estafetas na província do Namibe. Para o efeito, vai aproveitar o deslize dos “papões” do atletismo nacional.

“Esperamos dar uma boa réplica na prova nacional de estrada e levar o título, apesar de reconhecermos que temos adversários difíceis. Sabemos que o Interclube é o ‘papão’ das provas no país e o Petro de Luanda é uma grande equipa, mas também temos feito o nosso trabalho”, disse.
O 1º de Agosto entra com uma equipa masculina composta por Miguel Mota, Severino Calenga, Lucas Ukuhamba, Cliofas Jorge e Rafael Epesse.

INTERCLUBE
ESTÁ CONFIANTE

Depois de ter falhado o ‘nacional’ de estafetas na província do Namibe, o Interclube promete demonstrar na prova de hoje a hegemonia que ostenta no país. O objectivo é conquistar as provas por equipas e individuais.
O treinador do Núcleo dos “polícias” na Huíla, Augusto Diogo “Seco”, disse ao Jornal dos Desportos que vai demonstrar aos adversários que os atletas do Interclube são os melhores na especialidade de fundo.

“O Interclube tem os melhores fundistas nacionais e a nossa intenção é reconquistar o título, uma vez que não participámos no ano passado”, disse.
Os atletas estão moralizados para cumprir a “missão”, mas a equipa debate-se com duas baixas, Francisco Caluvi e Luís Chivemba, que têm paludismo. Com a baixa na equipa, a responsabilidade de reconquistar o troféu está entregue a Avelino Dumbo, Joaquim Chamane e David Elias. Os restantes elementos são provenientes da província do Huambo.
GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO