Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

ric Boullier observa evoluo dos carros

28 de Outubro, 2015

ric Boullier observa evoluo dos carros

Fotografia: AFP

A intenção da McLaren é que Jenson Button tenha à sua disposição no México a mesma unidade de potência da Honda, estreada por Fernando Alonso no fim de semana passado no Texas. Mas para isso, Éric Boullier pretende antes analisar para ver o que aconteceu com o propulsor do espanhol, que perdeu uma grande chance de pontuar no último domingo.

Se depender da McLaren, Jenson Button utilizará no fim de semana do GP do México a mesma especificação actualizada de motor com o qual correu Fernando Alonso nos Estados Unidos, em Austin. Entretanto, a equipa de Woking, juntamente com a Honda, vai analisar as causas de uma falha na unidade de potência usada pelo espanhol no último domingo. Alonso vinha em sexto lugar e em grandes condições para voltar a pontuar, mas o motor apresentou um problema que o fez cair para 11º lugar na prova.

Assim, McLaren e Honda querem entender o que de facto aconteceu para equipar o carro de Button com um motor que, apesar da falha, apresentou uma sensível evolução em termos de desempenho.“Haverá uma investigação sobre o que aconteceu”, confirmou Éric Boullier, director de corridas da McLaren, à revista britânica ‘Autosport’. “Usamos a nova especificação de motor, mas há dez voltas do fim, com Fernando em sexto e Jenson em sétimo, tivemos um problema com o motor de Fernando, e por isso ele terminou em 11º. Tivemos uma perda de potência em algum ponto”, comentou o engenheiro francês.

“Isso levou algum tempo para resolvermos o que estava acontecendo e tivemos de trabalhar no mapa de motor para evitar o problema.Conseguimos nos recuperar mudando o mapa do motor, mas então já era tarde, já que ele tinha perdido muitas posições, de modo que precisamos entender o que aconteceu”, justificou Boullier.

“Precisamos ver se há alguma falha e então vamos decidir sobre colocar o novo motor para Jenson ou não”, complementou.Apesar da falha apresentada no propulsor de Alonso, Boullier enxergou coisas positivas no último fim de semana em Austin. “Com os dois carros com a mesma configuração de chassi, pudemos comparar, analisar os dados e entender se era mesmo melhor. Quando você traz um motor novo, você não vai melhorar 1s de cara, de modo que você precisa analisar com calma todas as informações, mas claramente houve evolução”, avaliou o director da McLaren.

Na última corrida, Button acabou por herdar a posição de Alonso e terminou em sexto, a sua melhor colocação na temporada. Com os pontos conquistados pelo britânico nos Estados Unidos, agora a McLaren tem 27 e está a apenas nove atrás da Sauber, a oitava colocada do Mundial de Construtores em 2015.

Fair-play
Fernando Alonso exalta Hamilton


Grande rival de Lewis Hamilton no ano da estreia do britânico na F1, em 2007, Fernando Alonso se rendeu ao novo tricampeão mundial de F1: “É um dos melhores do desporto, e ainda há mais por vir, todos nós o respeitamos”A temporada 2007 do Mundial de F1 foi talvez a última marcada por uma rivalidade verdadeiramente explosiva dentro de uma equipa. À época, Fernando Alonso chegava à McLaren vindo de dois títulos mundiais conquistados pela Renault, mas tinha ao seu lado nos boxes o então novato Lewis Hamilton.

Os pilotos travaram grandes disputas dentro das pistas e, sobretudo, nos bastidores. Naquele ano, Hamilton e Alonso terminaram empatados em número de pontos, mas o campeonato acabou sendo vencido por Kimi Räikkönen, de forma improvável. Alonso deixou a McLaren ao fim da temporada e voltou à Renault, enquanto Lewis permaneceu e em Woking iniciou sua trajectória vencedora na F1.

Oito anos depois, Alonso se vê superado pelo ex-rival não apenas em número de vitórias, mas também em títulos. No último domingo, Hamilton confirmou a conquista do tricampeonato e entrou para um selecto rol de pilotos como o seu ídolo Ayrton Senna, Nelson Piquet, Jackie Stewart, Jack Brabham e Niki Lauda. De modo que Fernando entende que Lewis já ocupa um patamar diferente na F1.

“Acho que ele já é um dos grandes. Como Lauda e Senna, ele já tem três títulos, então não podemos colocar Lewis em um nível diferente deles. É um dos melhores do desporto, e acredito que ainda há muito por vir, de modo que é alguém que todos nós respeitamos”, elogiou o piloto durante entrevista em Austin no último domingo.“Ele teve alguns altos e baixos, mas o bom de Lewis é que, quando ele não tinha o melhor carro, seguia vencendo algumas corridas, talvez não o título.