Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ernesto e Cristina representam Hula

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 20 de Dezembro, 2018

Polcias foram mais fortes na corrida

Fotografia: Dombele Bernardo | Edies Novembro

Ernesto Correia e Cristina Vieira representam a província da Huíla na 63ª edição da tradicional corrida de fim-de-ano, a São Silvestre de Luanda, que acontece no último dia de cada ano. Os atletas do Clube de Assessoria Jamba Sport classificaram-se em 11º e 37º lugares da prova de apuramento realizado no Lubango. Ernesto Correia percorreu a distância de oito quilómetros e meio com a marca de 29 min08s88 e Cristina Vieira estabeleceu o tempo de 39min06s26.
As escolhas dos atletas resultam da disponibilidade do Clube de Assessoria Jamba Sport. Os primeiros classificados da prova qualificativa vão representar os clubes a que pertencem, segundo fontes da organização.
Refeito do cansaço, Cristina Vieira prometeu melhorar a resistência, a fim de representar com dignidade a província da Huíla na São Silvestre de Luanda. A jovem atleta reconhece que a competição de fim de ano é competitiva e vai ser muito bem disputada.
\"Mesmo assim, prometo dar o melhor de mim para me sobressair bem. Vou treinar forte e duro para obter uma classificação condigna, uma vez que vai ser a minha segunda participação na prova internacional\", prometeu Cristina Vieira, cujo foco na corrida de fim de ano é cortar a meta.
O sorriso nos lábios de Ernesto Correia indicia a satisfação da alma. O jovem do Clube de Assessoria Jamba Sport vai estrear-se na maior corrida pedestre da África Austral. Em declarações ao Jornal dos Desportos, assegurou que a presença constitui motivo de alegria.
\"Vou trabalhar muito até o dia da viagem para suportar as peugadas dos demais concorrentes. Reconheço que a corrida é difícil e dura\", disse.
Ernesto Correia sustenta que \"fisicamente está bem\", pese embora lhe falte \"um pouco\" para atingir a forma desportiva. O desejo é \"fazer o melhor para a província\".
O nível competitiva da prova de qualificação mereceu elogios do coordenador técnico, Augusto Diogo \"Seco\". O responsável assegurou que \"a competição foi bem disputada\". Felicitou os atletas apurados para a selecção provincial da Huila e desejou-os sorte em Luanda.
\"Cremos que os dois atletas vão fazer boa prova a julgar pela qualidade de preparação até o dia de partida para capital do país. As marcas registadas são satisfatórias e espero uma representação condigna à semelhança dos seus antecessores\", disse.
A prova de qualificação foi a última do ano. Os atletas devem manter os ritmos alcançados, segundo Augusto Diogo.
\"Vamos primar por uma preparação leve, sobretudo, a intensidade para mantermos os níveis alcançados durante a época de preparação\", garantiu Augusto Diogo \"Seco\".
A prova qualificativa contou com 51 atletas dos escalões juniores e seniores em representação do Clube Desportivo da Huíla, Sport Lubango e Benfica, Clube Ferroviário da Huíla, Clube da Saúde, 1º de Agosto, Interclube de Angola, Petro de Luanda, populares e T1 em Paralimpicos, assim como 29 corredores de massificação dos escalões de iniciados.

CLASSIFICAÇÃO
Manuel António
quer melhoria

Com os níveis de performances competitivas ainda por aprimorar, Manuel António aspira melhorar a sétima posição alcançada na edição transacta da tradicional corrida de fim-de-ano, a São Silvestre de Luanda. O fundista do 1º de Agosto acredita que o seu organismo vai sentir-se mais leve nas próximas duas semanas para suportar o despique da corrida.
Manuel António revelou que está a fazer \"boa preparação\" nas terras altas da Chela, sob orientação técnica de Lázaro João. Os índices motivacionais estão em alta.
\"Os meus níveis competitivos ainda estão abaixo das exigências da prova. A preparação decorre bem e vou superar as debilidades\", disse.
Em função da alteração do sistema de programação de treinamento, Manuel António está crente em melhorar o sétimo lugar da edição anterior. O volume de exercícios aumentaram em relação ao ano passado.  Na recta final de preparação, trabalhos de resistência, velocidade e intensidade dominam as sessões.
\"Assim, podemos preparar o organismo para suportar as cargas da São Silvestre. As minhas inspirações são de melhorar a classificação anterior\", perspectivou.
Rafael Epessy, companheiro de Manuel Antónip, almeja sentir-se \"bem\" nos próximos dias para chegar em Luanda com alto índice competitivo e motivacional. O resultado do ano passado \"está na história\". Agora, subir ou estar próximo do pódio é o objectivo.
“O trabalho corre bem. Vim da província do Bié para me enquadrar no grupo de colegas que trabalham na Huíla. Nesta região, as condições de treinamento, mormente o clima e altitude, favorecem os fundistas\", disse.


NA HUíLA
Interclube domina qualificação

Os fundistas do Interclube de Angola dominaram, na cidade do Lubango, a prova de atletismo disputada na distância de 8,5 quilómetros, no quadro de preparação e participação na 63ª edição da corrida de fim-de-ano, a São Silvestre de Luanda. David Elias e Ernestina Paulino subiram aos lugares mais altos do pódio masculino e feminino.
Com a marca de 27min22s42, David Elias arredou para lugares subsequentes o colega de equipa Luís Cuvíngua (27min34s32) e o petrolífero Fernando Cambinda (27min47s24).
Ernestina Paulino estabeleceu a marca de 33min00s04 em frente da individual Maria Bimbi (34min48s14) e da colega Alda Paulo (35min23s45).
Na categoria de juvenis, Zeferino Faria percorreu os cinco quilómetros em 17min19s13 e subiu ao lugar mais alto do pódio. Teresa Elias foi a melhor feminina com a marca de 17min29s18.
No final da corrida, David Elias manifestou-se regozijado pela vitória e garantiu pautar por uma conduta condigna, para evitar lesão na quadra festiva. Prefere passar as festas em família, em casa, a passear em locais turísticos. Garantiu reflectir sobre as estratégias a adoptar na corrida de São Silvestre.
\"A prova serviu para testar os níveis competitivos com vista a corrida de fim de ano. Vou  cuidar-me para não me lesionar; quero manter o mesmo nível\", disse.
O fundista lamentou a falta de competições na província para avaliar os atletas. Para si, o campeonato provincial e a prova de corta-mato, são insuficientes para elevar os níveis competitivos dos atletas.
\"Estamos a fazer muito o corta-mato, mas a prova de estrada já deu jeito para medir os nossos níveis\", disse.
David Elias assegurou estar em 90 por cento de rendimento competitivo. Nos próximos dias, prometeu acrescer mais um pouco.
Para Ernestina Paulino, a prova foi \"muito boa\" em função do número de atletas presentes.
“Venho da recuperação de uma lesão. Entrei para a prova e, graças a Deus, não ressenti. Rezemos para que faça uma prova excelente na corrida da São Silvestre”, salientou.
Augusto Diogo “Seco” avaliou de positivo o nível evidenciado pelos atletas