Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Escolas ministram aulas obrigatórias antidoping

08 de Junho, 2016

As autoridadesa russas querem credebilizar o desporto no pais abalado pelo doping

Fotografia: AFP

As escolas da Rússia passam a ter aulas obrigatórias sobre a luta anti-dopagem, no âmbito da campanha que pretende mudar a atitude da sociedade, relativamente ao doping, anunciaram  na segunda-feira autoridades russas.Em comunicado, o ministro do Desporto russo esclareceu que as aulas passam a fazer parte da disciplina de educação física e vão abranger milhões de jovens em toda a Rússia, de modo a incutir “um espírito de ética e transparência na juventude russa”.

De acordo com Vitali Mutko, o programa é aplicado a partir do próximo ano escolar e começa com lições que visam inculcar aos profissionais do desporto e da saúde os valores desportivos, para que estes percebam que “a dopagem é inaceitável”.A etapa seguinte inclui uma formação suplementar, destinada aos médicos, ao pessoal médico, aos treinadores e a todos que trabalham com federações desportivas.

“Trabalhamos com afinco de modo a assegurar que o desporto russo seja próprio e justo e a educação da próxima geração de atletas é crucial.Estamos conscientes que para obter verdadeiras mudanças, devemos sensibilizar os atletas quanto a esta problemática desde o início das suas carreiras”, defendeu no comunicado Natalia Jelanova, a conselheira do ministro do Desporto.

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), que suspendeu a Rússia de todas as competições internacionais, vai tomar uma decisão quanto à participação da selecção russa nos Jogos Olímpicos do Rio2016 a 17 de Junho.A suspensão foi implementada na sequência do escândalo de dopagem generalizada no atletismo russo, revelado em Novembro num relatório da Agência Mundial Anti-dopagem (AMA).

TRIPLO SALTO

A cazaque Olga Rypakova acabou este domingo com uma série de 34 vitórias consecutivas da colombiana Caterine Ibargüen, em provas de triplo - salto, ao repetir em Birmingham o triunfo de há quatro anos, em Londres2012.Ibargüen liderava o concurso após os primeiros três saltos, com 14,56 metros, mas aproveitou-se do vento favorável de 1,5 m/s, Rypakova ‘roubou-lhe’ o triunfo, ao saltar mais cinco centímetros (14,61 metros).

A última derrota de Ibargüen também aconteceu em solo inglês, mais precisamente na final dos Jogos Olímpicos Londres2012: a colombiana saltou 14,80 metros, que só valeram a medalha de prata, face aos 14,98 de Rypakova.Depois do desaire, a colombiana somou 34 triunfos consecutivos, até perder hoje, em Birmingham.Nas outras provas do ‘meeting’ de Birmingham, destaque para o triunfo de Kim Collins, de 40 anos, nos 100 metros, com 10,11 segundos, com vento contrário de 0,8 m/s.