Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Esperança Elavoko tem potencialidade a nível mundial

Silva Cacuti - 27 de Março, 2013

Esperança Elavoko (no canto superior direito) apresenta aptidões que a podem tornar uma campeã mundial

Fotografia: Jornal dos Desportos

Esperança Elavoko, corredora do Núcleo de Atletismo do Kuando-Kubango, está a ser apontada como futura estrela da modalidade, depois de ter deixado referências em recentes testes médicos realizados no Centro de Medicina Desportiva e do Exercício.

Segundo João Mulima, gestor do centro, a atleta tem muitos indicadores, mas os que mais impressionaram foi o teste de esforço cardiopulmonar. O teste de esforço cardiopulmonar determina a capacidade máxima do corpo de um indivíduo em transportar e fazer uso do oxigénio durante um exercício físico e reflecte a aptidão física deste indivíduo.

João Mulima, para exemplificar, realçou que um atleta de alto rendimento, adulto, deve consumir um mínimo de 60 ml de oxigénio, por quilograma, por minuto (ml/kg/min) de forma relativa ao peso do indivíduo.

A atleta do Kuando-Kubango, de 14 anos de idade, consumiu 57 ml. Além deste teste, a atleta mobiliza rapidamente o ácido láctico e não tem tecido adiposo, segundo o doutor Mulima.

“O que mais impressiona é ela ter estes indicadores aos 14 anos de idade e considerar que fizemos os testes numa esteira e foi para ela a primeira vez”, alertou.
João Mulima, médico experimentado ao serviço de selecções nacionais e de equipas de alto rendimento, disse que o caso de Esperança Elavoko é o primeiro, desde que a clínica funciona.

“Temos feito aqui exames de várias equipas, como a de andebol e de futebol do Petro de Luanda, atletas individuais vêm para aqui, mas nunca encontrámos indicadores destes”, revela.

O médico angolano chama a atenção para dois aspectos no tratamento de Esperança Elavoko.
“Julgo que é preciso ponderar o aspecto técnico, já que não há condições no país para explorar ao máximo as potencialidades da atleta. Em segundo lugar, é preciso ponderar do ponto de vista social, porque para o caso de lhe ser dada uma bolsa, ela ainda é uma criança e eventualmente precisará dos progenitores ao lado de si. Isto pode influenciar”, alertou.


APOIO À ATLETA
Federação quer acção imediata


O presidente da Federação Angolana de Atletismo (FAA), Carlos Rosa, disse que se devem criar com urgência as condições para a Esperança Elavoko desenvolver as suas potencialidades. Rosa sugere que a menina deve integrar-se onde houver condições para a sua formação.

“Os dados dos testes são animadores e pensamos que é uma atleta que não deve continuar a trabalhar no Kuando-Kubango e no país. Os indicadores que ela demonstra trazem-nos a preocupação de colocá-la num país com referências no atletismo mundial, para ver se algum dia podemos contar com uma campeã de nível mundial”, disse.

Carlos Rosa defende que a sociedade deve juntar esforços para “proporcionar à criança corredora uma oportunidade de crescimento no atletismo, mobilizando recursos para que ela vá desenvolver a prática da modalidade onde possa granjear as performances que os seus indicadores permitem, já que, no país, não há condições para sobressair”, sustentou.

Recordou que a corredora tinha sido seleccionada para representar o país nos campeonatos africanos de pista em juvenis, que começam a ser disputados amanhã, até 2 de Abril, na Nigéria, mas acabou por não ir devido à falta de passaporte.

Estão na Nigéria para representar o país no campeonato africano, os corredores Alice Ventura, do Naval do Namibe, que vai correr os 100 metros, e Moisés Pedro, do 1º de Agosto, que vai correr nos 200 metros.
Silva cacuti


PROVA DE 15 KM - NACIONAL
Lubango acolhe prova de estrada


Os melhores fundistas da praça nacional disputam, no próximo sábado, no Lubango, o troféu do Campeonato Nacional de atletismo em estrada, na distância de 15 quilómetros. A prova, que tem o tiro de largada no Km 16 da Estrada Nacional que dá acesso ao município da Chibia e término no antigo controlo junto ao Aeroporto Internacional da Mukanka, conta com a participação das equipas do Interclube, 1º de Agosto, Petro de Luanda, Clube Desportivo da Huíla (CDH) e Benfica do Lubango.

O secretário-geral da Associação Provincial de Atletismo da Huíla, José Leôncio, avançou que além dos clubes citados, o evento pode contar também com as presenças de corredores do ABC do Namibe e Naval de Porto Amboim.

Quanto ao nível competitivo, o responsável associativo assegurou que o “figurino é o mesmo e não muda absolutamente nada”.

José Leôncio disse que as autoridades governamentais estão engajadas na criação de condições para o êxito da prova e a Associação local está à espera que a Federação Angolana de Atletismo aloque as verbas para a criação de outras condições logísticas.

“Contactámos a Direcção da Juventude e Desportos e a Administração Municipal do Lubango para apoiarem no que for possível para a realização com êxito da prova”, afirmou José Leôncio.

A prova estava agendada para o centro da cidade do Lubango, mas o elevado fluxo rodoviário existente incomodaria os atletas, segundo José Leôncio.
GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO