Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Estádio da Nossa Senhora do Monte recebe jogos

17 de Agosto, 2014

O contrato de concessão de exploração, conservação, manutenção, consumo de água, energia eléctrica e outros encargos atinentes ao bom funcionamento do estádio, foi entregue à direcção da agremiação militar de Região Sul pela Administração Municipal do Lubango.

O vice-governador Provincial da Huíla para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Nuno Mahapi, procedeu ontem (sábado) ao corte da fita da reinauguração do Estádio de Nossa Senhora do Monte, depois de a empresa SIS Angola  trabalhar durante nove meses na recuperação total da relva daquela infra-estrutura desportiva e outras envolventes.

As obras foram executadas com os fundos do Programa de Investimento Público do Governo Provincial da Huíla.

Na ocasião, o vice-governador Provincial da Huíla para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Nuno Mahapi, agradeceu à empresa e a toda a equipa técnica que envidou esforços para a recuperação da relva da infra-estrutura desportiva..

O governante desejou ao Clube Desportivo da Huíla bons resultados nos futuros compromissos e que continue a primar por um futebol de qualidade face a infra-estrutura que lhe foi entregue oficialmente, para que a província esteja bem representa a nível do futebol nacional.

Com capacidade para 12 mil espectadores, o estádio, localizado no Complexo Turístico com o mesmo nome, no bairro Dr. António Agostinho Neto, volta assim a receber jogos oficiais e treinos do Desportivo da Huíla.

Rony Raimundo, administrador do estádio, esclareceu que a empresa SIS Angola lançou a semente em Novembro do ano passado e transcorridos nove meses a relva já atingiu o período de maturação desejada para receber qualquer tipo de jogos oficiais nacionais e internacionais.

Depois da reinauguração seguiu-se a partida de futebol entre os veteranos da Velha Guarda de Luanda e de Benguela com atletas com 50 anos em diante.  O vice-presidente para o futebol do Clube Desportivo da Huíla, Neco Amaro, disse sábado, no Lubango, que o estádio ora reinaugurado vai facilitar  na solução dos problemas que a agremiação vivia em termos de recintos para efectuar os treinos.

“Consideramos o complexo de Nossa Senhora do Monte dentro dos estádios nacionais, um grande campo de futebol e ao nos ter sido entregue essa estrutura, com muita dignidade vamos honrar, trabalhar e investir. Há promessas de investimentos que o clube vai fazer. Com o apoio do Clube 1º de Agosto, que já se ofereceu para a execução da pista de tartan”, disse. O dirigente reconheceu que os custos de manutenção da infra-estrutura é onerosa, todavia, vai continuar a contar com o apoio do Governo Provincial da Huíla.

 “Os custos de manutenção, estão aquém das possibilidades do clube. Mas já há estudos. E o Desportivo com o trabalho que vai tendo e a experiência que tem  dos dez anos anteriores vai conseguir colmatar esse problema”, garantiu.

Neco Amaro referiu que o clube vai continuar a utilizar os campos pelados, pois não pode treinar sucessivamente no estádio de Nossa Senhora do Monte para não danificar a relva. Deste modo, justificou, a equipa de futebol vai utilizar o estádio para dois treinos semanais.

“Vamos fazer no mínimo dois treinos por semana no estádio. Se nos habituarmos com treinos diários, vamos estragar uma estrutura linda como ela é. Esta preparada para realização de jogos. Quer dizer que oficialmente vamos ter de fazer dois treinos habituais e vamos continuar com o empréstimo do estádio do Benfica do Lubango e Nacional da Tundavala”, sustentou.

Desportivo efectua jogos oficias no estádio de Nossa Senhora do Monte em 2015
Os jogos oficiais do Desportivo da Huíla, passam a ser efectuados no estádio de futebol de Nossa Senhora do Monte apenas na próxima temporada desportiva de 2015, anunciou, ontem o vice-presidente para o futebol do grémio militar da Região Sul, Neco Amaro.

Justificou que na presente época não é possível efectuar jogos no estádio em virtude de o Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão se encontrar   na recta final.

Argumentou que caso o fizesse, tinha de pedir uma nova inspecção por parte da Federação Angolana de Futebol, FAF.

“Para a próxima época sim. Mas para esta não é possível porque o campeonato nacional está quase no fim e tínhamos de pedir uma nova inspecção da FAF. E uma inspecção na federação é caríssima custa na ordem dos 200 a 300 mil kwanzas e o Desportivo vai evitar esses gastos. Para a época que vem os nossos jogos são feitos neste recinto lindo e bem situado”, prometeu.