Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Estado mental evita quedas a Mrquez

27 de Julho, 2019

Pentacampeo diz que a concentrao um diferencial

Fotografia: AFP

As características actuais da Honda e o estado mental constituem factores que levam Marc Márquez a cair menos na época 2019, na qual já facturou cinco vitórias. A revelação é do piloto espanhol da Honda Repsol.Em 2018, o pentacampeão caiu 23 vezes e liderou as estatísticas do campeonato ao superar Cal Crutchlow e Jack Miller, que tiveram 17 quedas. Em 2017, o espanhol também ‘liderou’ a tabela com 27 acidentes, três a mais que Crutchlow. Com nove das 19 corridas de 2019 já disputadas, Marc Márquez está a caminho de um recorde muito mais baixo: caiu apenas seis vezes. Dessas, somente uma foi em corrida: caiu no Circuito das Américas, quando liderava a etapa de Austin.

Embora a Honda de 2019 se mostre mais difícil de pilotar do que as anteriores, Marc Márquez disse que o seu motor mais potente e as características diferentes o estão a ajudar a permanecer sem quedas."Parece que nesse ano, o diferencial é o chassi. Talvez estejamos a perder em alguns pontos, mas estamos a ganhar em outros. Também parece que temos mais motor (potência) que nos permite um pouco mais de segurança na travagem", explicou.O pentacampeão esclareceu que "muita concentração na moto ajuda a evitar muitas quedas".

"Caio menos (este ano). É só olhar os testes. Em Montmeló, eu não estava a 100 por cento concentrado. Então, perdi a frente e caí, porque não estava focado o suficiente. Essa é a maneira de pilotar a Honda: encontrar o limite e ser o mais rápido", disse.Com a exclusão de Austin, Márquez terminou em primeiro ou segundo em todas as corridas deste ano, o que lhe dá uma enorme vantagem de 58 pontos sobre Andrea Dovizioso na tabela de pilotos de 2019.

"A experiência, a atmosfera na equipa, todas essas coisas ajudam. Isso não significa que no ano passado ou dois anos atrás, eu não estava concentrado, mas quando se tem mais experiência e entende que não é necessário estar 100 por cento em todos os treinos, ou em todas as voltas da prática, isso ajuda muito", esclareceu o espanhol.

ANDREA DOVIZIOSO
Ducati evolui menos na grelha


A maioria das equipas adversárias evoluiu mais do que a Ducati ao longo da época 2019 da MotoGP, de acordo com Andrea Dovizioso. O italiano sente que o conjunto Honda/Márquez é o mais forte da grelha e os rivais como Yamaha e Suzuki tiveram um desempenho maior do que o da marca italiana nas últimas provas.

Em 2018, Andrea Dovizioso venceu quatro provas do mundial e terminou a temporada como vice-campeão. Neste ano, apesar de ter vencido a etapa do Qatar, o italiano ficou de fora do pódio nas últimas quatro corridas e está a 58 pontos atrás de Marc Márquez, que já venceu cinco vezes no campeonato deste ano.“Não é que a nossa moto não tenha evoluído o suficiente. Os competidores evoluíram mais do que a Ducati”, disse Dovizioso ao Motorsport.com.

O piloto da equipa italiana esclareceu que “o pacote Honda e Márquez é o mais forte, as Suzuki deram um passo adiante e a moto deles melhorou; a Yamaha está mais competitiva do que no ano passado. Com todos os pilotos talentosos actualmente na MotoGP, o campeonato está mais complicado”.“Então, ao invés de sermos os mais fortes na luta com Marc, encontramo-nos numa situação de dificuldades. Ele está a lutar pela vitória em todas as corridas e há pilotos que são frequentemente mais rápidos que nós”, sustentou.

A principal fraqueza das motos recentes da Ducati tem sido na viragem, algo que o italiano assume ser difícil de solucionar. Perguntado por que tem sido mais fácil para a Honda resolver os seus problemas, Dovizioso respondeu: “Tecnicamente, é bem mais fácil ganhar potência, porque a dificuldade em fazer progresso na viragem é uma combinação de vários factores. Não há uma receita perfeita”.

Andrea Dovizioso sente que Marc Márquez, que facturou o título dos últimos três campeonatos e já soma cinco conquistas, está a pilotar melhor agora do que em qualquer outro momento da sua carreira.

“Marc é um piloto muito forte que nunca pára de aprender. Ele não passa por altos e baixos. É um piloto que está sempre a evoluir e nunca retrocede. Sempre mantém o nível ou evolui”, acrescentou.Dovizioso afirma que “a maioria dos rivais está a dar um passo atrás".

"Boa parte deles atravessa altos e baixos, mas os melhores pilotos, os espertos, podem melhorar mais ou melhorar menos. Nunca voltam atrás”, completou 'Dovi\, dando sequência aos elogios ao espanhol.