Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Estrelas melhor remuneradas nos Estados Unidos da América

15 de Dezembro, 2016

Há mais jogadores na "MLS" a receberem cem mil euros ou mais por semana na "Serie A"

Fotografia: AFP

Neste fim de semana, o Seattle Sounders venceu o Toronto aos penáltis e conquistou pela primeira vez, o título da "Major League Soccer". Esta, foi apenas a oitava época da equipa, e em todas edições pelo menos chegou aos "play -offs". Além disso, teve a espectacular média em 2016, de 42.636 adeptos por jogo.

A evolução da MLS é notória. Muitas críticas feitas,  actualmente,  à liga norte-americana de futebol são baseadas em impressões antigas e de pouca observação. Logo, em muitos casos, trata-se de  preconceito por ser dos Estados Unidos.

Naturalmente, o aspecto técnico ainda está aquém dos principais campeonatos europeus. No entanto, a competição cresceu muito nos últimos anos, tecnicamente. Treinadores estrangeiros e grandes jogadores internacionais, sendo muitos veteranos, agregaram demais e essa movimentação pode  tornar-se cada vez mais frequente nos anos que estão por vir.

Recente, num levantamento feito pela Verve Search, agência inglesa de marketing, em parceria com a Axo Finans, consultora financeira norueguesa, constatou que há mais jogadores na "MLS" a receber 100 mil euros, ou mais por semana, do que na "Serie A". No total, 5 por cento de atletas nessa categoria jogam nos Estados Unidos, enquanto somente 3 por cento estão na Itália. No geral, em média, os países invertem os papéis.

Kaká recebe 126 mil, é quem mais ganha para jogar pelo Orlando City, enquanto Gonzalo Higuaín acumula 148 mil euros semanais, em Turim. Desde 2007 a "MLS" tem a regra de Jogadores Designados, criada basicamente para receber David Beckham, no Los Angeles Galaxy e que permite os clubes contratarem até três jogadores fora do tecto salarial.

A lista é completada com Sebastian Giovinco, Michael Bradley, Steven Gerrard, Frank Lampard e Andrea Pirlo; Miralem Pjanic e Daniele de Rossi. A "Premier League" domina o ranking com 43 por cento, seguida por La Liga e Campeonato Chinês com 15 por cento cada; Bundesliga (10 por cento) e Ligue 1 (por cento) completam a estatística. Cristiano Ronaldo é o jogador mais bem pago do mundo: 410 mil euros, por semana.

Neste ano, principalmente antes do Euro, houve polémica na Itália por causa das ausências de Pirlo e Giovinco na "Azzurra". António Conte e o seu sucessor, Giampiero Ventura, possuem praticamente o mesmo discurso contra a "MLS".

Se transportar esse raciocínio para a realidade brasileira, Tite não devia convocar jogadores que actuam na China. Por isso, mais do que palavras ao vento e frases de efeito, valem o trabalho e a análise.