Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Estrelas mundiais desistem do sonho

António Ferreira| Lisboa - 14 de Junho, 2016

Principais estrelas do desporto mundial não vão nos Jogos Olímpicos d

Os Jogos Olímpicos de Verão, Rio 2016, não terão em compita as principais estrelas do desporto mundial nas diferentes modalidades. Lionel Messi, Stephen Curry, Kobe Bryant, Maria Sharapova, Many Pacquiao e Ben Ainslie encabeçam a lista de ausências, o que retira exuberância e espectacularidade à festa, face a sua refinada qualidade técnico-individual.

Motivações pessoais, lesões e os escândalos de doping, estão no epicentro deste “efeito-dominó”, passe a expressão, que muito provavelmente deverá fazer “mais vitimas”, quando nos abeiramos da cerimónia de abertura, dia 6 de Agosto, no Estádio Olímpico Municipal João Havelange (ex-Maracanã) e agora baptizado com o nome de Engenhão, que será palco das competições de atletismo e algumas partidas do torneio de futebol.

O atletismo, boxe, ginástica, halterofilismo, natação, ténis, voleibol, entre outras modalidades, estão na mira da Agência Mundial Anti-Doping (WADA), face ao aumento vertiginoso do número de atletas apanhados nas malhas do doping, cujos envolvidos estão no ranking dos melhores desportistas do planeta e, como tal, suspensos e desqualificados para os Jogos do Rio de Janeiro.

As ausências mais mediáticas dizem respeito as modalidades de maior popularidade no seio da família olímpica, com principal incidência no basquetebol, em que o actual campeão olímpico e mundial, os Estados Unidos da América, está desprovido dos préstimos dos melhores jogadores da actualidade na NBA.

Stephen Curry, LaMarcus Aldridge, Anthony Davis, Chris Paul, Blake Griffin, John Wall, Russell Westbrook e James Harden, eleitos já disseram "não" para o Rio de Janeiro, seja por motivos de lesão ou por razões pessoais, ausências de peso na selecção dos EUA para o torneio dos Jogos do Rio de Janeiro. A estes junta-se o brasileiro Tiago Splitter e muitoprovvelmente o argentino Emanuel David Ginóbili.No futebol, o argentino Lionel Messi e o português Cristiano Ronaldo são as ausências de vulto no torneio dos Jogos do Rio de Janeiro.

Messi, quatro vezes o melhor jogador do mundo, conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de 2008, em Pequim, enquanto Ronaldo volta a adiar o sonho de conquista de uma medalha olímpica. Nos dias que antecedem os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, quando se fala de ténis vem à baila o nome de uma referência da modalidade, por motivos ligados ao doping. A russa Maria Sharapova, a atleta feminina mais bem paga do mundo, acusou positivo num teste anti-doping e fica de fora das Olimpíadas.
 
De fora também estão os tenistas Dominic Thiem (7º no ranking da ATP) e John Isner (17º no ranking), que optaram por competir nos circuitos
profissionais. Enquanto isso, o sérvio Novak Djokovic, medalha de bronze em Pequim 2008, número 1 do mundo e um dos principais tenistas de todos os tempos, não abriu mão do ouro nos Jogos do Rio de Janeiro.
 
No boxe, o filipino Many Pacquiao, uma das maiores referências do boxe nos últimos anos desistiu de competir nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, a primeira que contará com a presença de pugilistas profissionais.Se a desistência se deve a motivações pessoais, já a brasileira  Clélia Costa, medalha de bronze do mundial de 2014, está afastada por doping.

Mas os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro tem muito que se lhe diga, pelo menos em termos de presença das “grandes feras”, como são os casos de Usain Bolt (Jamaica), Veronica Campbell-Brown (Jamaica), Allyson Félix e Sanya Richards-Ross (EUA).

Usain Bolt já conquistou seis medalhas de ouro em três provas diferentes, nomeadamente nos 100, 200 e estafetas 4x100 metros. Allyson Felix (quatro de ouro e duas de prata) e Sanya Richards-Ross (quatro de ouro e uma de prata), podem aumentar o pecúlio no Rio 2016. A jamaicana Veronica Campbell-Brown soma três medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze.Outros nomes prometem faer furor nos Jogos do Rio de Janeiro, como o pugilista Zou Shiming (China), três vezes medalha de ouro e que está perto dos feitos de do húngaro Laszlo Papp e dos cubanos Teofilo Stevenson e Félix Savon.

A futebolista Christie Rampone (EUA), os lutadores Artur Taymazov  (Uzbequistão), Kaori Icho e Saori Yoshida (Japão), o nadador Michael Phelps (EUA), este com 18 ouros, duas pratas e dois bronzes no currículo, é o principal rosto das Olimpíadas do Rio de Janeiro. A estes acresce-se os nomes do atirador Kimberly Rhode (EUA), da tenista Serena Williams (EUA) ou da chinesa Hao Wang, que já conquistou cinco medalhas, sendo duas de ouro e três de prata.